Tecnológicas perto de resolverem processo judicial

EmpresasNegócios

A Apple, a Google e outras empresas de Silicon Valley estão a cooperar para chegarem a um acordo relativamente ao processo judicial no qual empregados das tecnológicas acusam-nas de conspirarem contra os seus trabalhadores, evitando competir entre si por funcionários de forma a reduzir os salários. Numa audiência realizada ontem num tribunal federal na Califórnia,

A Apple, a Google e outras empresas de Silicon Valley estão a cooperar para chegarem a um acordo relativamente ao processo judicial no qual empregados das tecnológicas acusam-nas de conspirarem contra os seus trabalhadores, evitando competir entre si por funcionários de forma a reduzir os salários.

silicon valley

Numa audiência realizada ontem num tribunal federal na Califórnia, o advogado da Google, Robert van Nest, disse que as empresas e os queixosos têm-se reunido diariamente, na presença de um mediador, para tentarem resolver a disputa, e que um consenso já esteve mais longe de ser conseguido.

Kelly Dermody, defensora dos quereladores, representa quase 60 mil trabalhadores, e confirma as afirmações de van Nest.

O julgamento tem início marcado para o próximo mês de maio.

O caso começou em 2011, altura em que cinco engenheiros de software processaram a Apple, a Google, a Adobe Systems, a Intel e outras empresas sob alegações de suprimirem pagamentos e de, no seguimento de um pacto secreto, não recrutarem nem contratarem os funcionários umas das outras.

Os réus foram acusados de violarem leis antitrust e de conspirarem para a eliminação da competição por mão-de-obra, privando os trabalhadores de mobilidade profissional e evitando centenas de milhares de dólares em despesas compensatórias.

As divisões Pixar e Lucasfilm da Walt Disney e a Intuit já acordaram em pagar nove milhões e onze milhões de dólares, respetivamente.


Clique para ler a bio do autor  Clique para fechar a bio do autor