Surface Pro 4: um híbrido fácil e agradável

Mobilidade
0 0 Sem Comentários

O Surface Pro 4 transforma a passagem de um notebook para um híbrido num processo fácil e agradável. Desenhado já tendo em conta o mais recente sistema operativo da Microsoft, Windows 10, o Surface Pro 4 é uma boa surpresa quer a nível de performance quer a nível ergonómico.

No primeiro contacto com o Surface 4 foi possível verificar a boa qualidade de construção e robustez mas o login não se processou de uma forma tão fácil quanto a desejada. No entanto, após ultrapassada a primeira dificuldade, as surpresas foram agradáveis.

A capa teclado com mais espaço entre teclas e o trackpad maior do que o do seu antecessor, o Surface Pro 3, oferecem conforto na escrita e na utilização.  A nível de desempenho, mesmo com vários programas abertos e ínumeras janelas do novo browser Edge, a velocidade de processamento não ficou comprometida. A produtividade não é afetada mesmo quando usamos programas que puxam mais pela máquina, no caso vertente o software Traktor Pro da Native Instruments. A qualidade do som, que para mim é de grande importância, é excelente tendo em consideração que estamos a falar de hardware não específico.

A capacidade da bateria foi outro dos aspectos surpreendentes. Apesar de não ter conseguido 9 horas de utilização indicadas pela Microsoft, muito possivelmente pelo forma como usei o Surface, não posso deixar de considerar o tempo de duração da bateria como um ponto positivo.

A nível de performance, a utilização como tablet não é nada diferente da utilização como notebook. A caneta, especialmente desenvolvida para o Surface Pro 4, tem um bom desempenho e precisão visto que integra 1.024 níveis de sensibilidade de pressão e possui borracha em ambas as extemidades. A facilidade com se passa do tablet para um computador e vice-versa continua a surpreender-me e Microsoft fâ-lo muito bem.

Os pontos negativos que encontrei residem essencialmente nas portas visto que apenas dispõe de um USB 3.0 quando muitas vezes necessito de utilizar mais do que um USB em simultâneo. O facto de possuir um mini displayport permite a conexão de vários adaptadores mas se não estiver “à mão” pode dificultar a ligação a outros dispositivos.

O meu primeiro contacto com o Windows 10 não podia ter sido melhor pois vou finalmente actualizar o SO do meu PC de casa.

Pelo que custa, o Surface Pro 4 corresponde ao esperado e tanto o recomendamos para um gestor de TI como para um consumidor que pretende uma máquina com boa performance.