Sul-coreanos cancelam cartões de crédito por roubo de dados

EmpresasNegócios

Depois de um profissional de segurança informática ter roubado informação de cartões de 15 a 20 milhões de pessoas, muitos sul-coreanos decidiram cancelar os seus cartões de crédito. O homem roubou e vendeu informação relativa a 30 e 40 por cento da população da Coreia do Sul. Os dados roubados incluíam o número do cartão

Depois de um profissional de segurança informática ter roubado informação de cartões de 15 a 20 milhões de pessoas, muitos sul-coreanos decidiram cancelar os seus cartões de crédito.

080918-N-0659H-001O homem roubou e vendeu informação relativa a 30 e 40 por cento da população da Coreia do Sul. Os dados roubados incluíam o número do cartão bancário, o nome do utilizador, dados de contacto e número de segurança social, respeitantes a pouco mais de cem milhões de cartões.

A informação roubada foi posteriormente vendida a empresas de crédito pessoal, que a usaram para contactar as pessoas com telefonemas promocionais. No entanto, os dados roubados não incluíam o número de segurança nem palavras-passe, e as autoridades dizem não haver risco de fraudes bancárias.

O homem já foi detido pelas autoridades mas já cerca de meio milhão de sul-coreanos foram cancelar os seus cartões de crédito e pedir novas vias. O roubo aconteceu no ano passado e afetou sobretudo clientes de três empresas de cartões de crédito.

Os sul-coreanos têm, em média, quatro cartões de crédito cada um e muitas empresas oferecem este tipo de serviço. Os responsáveis destas três empresas já vieram pedir as suas desculpas, numa conferência de imprensa conjunta realizada na passada segunda-feira.

O homem que roubou os dados terá copiado a informação para uma pen USB, depois de ter sido contratado por uma empresa que faz análise de crédito e que tem acesso às bases de dados das empresas afetadas.


Clique para ler a bio do autor  Clique para fechar a bio do autor