Stripe considerada startup revelação de 2014

e-Commercee-MarketingNegóciosStartup

Começou a ser pensada em 2009, na Irlanda. Passados cinco anos, é uma startup com parcerias estabelecidas com a Apple e que gera receitas de milhares de milhões de dólares, através dos pagamentos online. A indústria é complexa e tem grandes gigantes, como o PayPal, por exemplo. Mas não foi isso que assustou os dois

Começou a ser pensada em 2009, na Irlanda. Passados cinco anos, é uma startup com parcerias estabelecidas com a Apple e que gera receitas de milhares de milhões de dólares, através dos pagamentos online.

e-commerce

A indústria é complexa e tem grandes gigantes, como o PayPal, por exemplo. Mas não foi isso que assustou os dois jovens irmãos, Patrick e John Collison, de uma cidade no interior da Irlanda, onde a ligação à internet era um pesadelo, de fundarem a sua empresa.

Em 2009, Patrick tinha apenas 21 anos e o irmão 19. A Stripe já é responsável por uma percentagem dos pagamentos feitos em compras na internet. Para além disso, trata também de questões como a prevenção de fraude ou as conversões de moedas. Em cada transação, a Stripe arrecada 2,9 por cento do total e uma taxa de cerca de 25 cêntimos.

O objetivo da empresa é que o comércio pela internet possa crescer, assim como ajudar as novas gerações de negócio a aceitar outras formas de pagamento. Os fundadores da startup dizem que, normalmente, o pagamento é a última parte em que as empresas pensam e consegue ser, também, a mais complexa. E o e-commerce ainda pode crescer mais: entre as empresas dos Estados Unidos, apenas dois por cento fazem comércio online.

2014 foi um ano importante para a Stripe: conseguiu financiar-se com 65 milhões de euros e atingiu uma valorização de 1,42 mil milhões de euros. Mas o crescimento também se deu ao nível das parcerias – com redes sociais como o Twitter ou o Facebook a acrescentar o botão “comprar” – surgiram novos parceiros para acrescentar à lista.


Clique para ler a bio do autor  Clique para fechar a bio do autor