STPT pede que assembleia-geral da PT SGPS seja desconvocada

OperadoresProjetosRedesService-Provider

O Sindicato de Trabalhadores da PT pede a suspensão da assembleia-geral da próxima quinta-feira, defendendo que não tem dados suficientes, pedindo que a mesa tome medidas para avançar com a suspensão. O STPT revelou, em comunicado, que a informação disponível ainda não é suficiente para que os acionistas tomem uma decisão na assembleia do próximo

O Sindicato de Trabalhadores da PT pede a suspensão da assembleia-geral da próxima quinta-feira, defendendo que não tem dados suficientes, pedindo que a mesa tome medidas para avançar com a suspensão.

1l0mwjdozmqcvfr4odzwsigcu

O STPT revelou, em comunicado, que a informação disponível ainda não é suficiente para que os acionistas tomem uma decisão na assembleia do próximo dia 22 de janeiro, onde será votada a venda da PT Portugal.

No comunicado é dito que “a direcção do STPT não tem dúvidas em considerar que não há condições e informação suficiente para os accionistas formarem em plena consciência dos factos decisão tão relevante como é a de decidir a venda da PT Portugal”.

O comunicado defende que ainda está em falta informação, como por exemplo a análise dos efeitos jurídicos e económicos de uma reversão da fusão da PT com a Oi.

O STPT é um pequeno acionista na PT SGPS. Já enviou uma carta aos principais acionistas, onde é pedida a desconvocação da assembleia-geral de acionistas da empresa.

A assembleia-geral de acionistas da PT SGPS era para ter acontecido no dia 12 de janeiro, mas foi suspensa por falta de informação aos acionistas. Está convocada para esta quinta-feira, dia 22 de janeiro, com a votação da venda da PT Portugal à Altice na ordem de trabalhos.


Clique para ler a bio do autor  Clique para fechar a bio do autor