Startups aliam turismo à tecnologia

EmpresasNegócios

A junção entre turismo e tecnologia foi o ponto-chave da conferência “Lisbon Challenge Tourism Day”. Organizada pela Beta-i, contou com a participação de empresários do sector, assim como dez startups que se destacam na área. Em parceria com o Turismo de Portugal e a Microsoft, a Beta-i integrou também algumas das startups de turismo do

A junção entre turismo e tecnologia foi o ponto-chave da conferência “Lisbon Challenge Tourism Day”. Organizada pela Beta-i, contou com a participação de empresários do sector, assim como dez startups que se destacam na área.

Lisboa

Em parceria com o Turismo de Portugal e a Microsoft, a Beta-i integrou também algumas das startups de turismo do “Lisbon Challenge”, um dos programas de aceleração da Europa, que capacita empresas para o crescimento, internacionalização e captação de financiamento a curto prazo.

O turismo é um dos sectores mais importantes da economia portuguesa, com milhões de visitas de turistas estrangeiros por ano. A conferência debateu as potencialidades do sector, assim como as tendências de futuro.

Pedro Rocha Vieira, presidente da Beta-i, sublinha: “O turismo é um sector estratégico de inovação em Portugal, cujas receitas já representam cerca de oito por cento do PIB do país. Mais de  oito milhões de turistas estrangeiros visitaram o país no ano passado. Por isso mesmo, por todas as condições naturais que o nosso país oferece e pelo talento e potencial dos nossos empreendedores, Portugal tem um grande potencial para novos negócios nesta área. Esta conferência vem, precisamente, no sentido de fazer uma análise desta indústria, apontar oportunidades e inspirar possíveis empreendedores a lançarem a sua própria startup.“

“Queremos que Portugal seja um Centro de Empreendedorismo. Promover a inovação no setor através de estímulos dirigidos ao empreendedorismo no Turismo é essencial para a competitividade da nossa oferta turística, assim como para a renovação do tecido empresarial”, afirma João Cotrim de Figueiredo, Presidente do Turismo de Portugal. “O Turismo de Portugal pretende criar um ecossistema de empreendedorismo turístico, que ajude a transformar o potencial criativo nacional em negócio. Queremos afirmar Portugal como um ‘start-up hub’ do Turismo na Europa”, conclui João Cotrim de Figueiredo.

Entre as startups convidadas, para exemplificar o empreendedorismo no turismo português, estiveram a “Rewind Cities”, que cria “máquinas do tempo de bolso”, usando a realidade aumentada; “Doinn” , uma plataforma de emprego para micro-trabalhos, dedicados a anfitriões e convidados de websites de arrendamentos/trocas de férias. Já a “Planedia” permite planear uma viagem com amigos, de uma forma fácil e interativa; por seu lado, a “Goosit” transforma o planeamento de férias, algo que pode ser visto como aborrecido, numa experiência social. Também a “Inviita” opta pela simplificação do planeamento de viagens a “Tationem”, a “moviinn”, a “Trip Dashboard” e a “OwnerMetric” são startups mais viradas para as informações de negócio ou reviews.

A Beta-i é uma associação sem fins lucrativos, criada em 2010, com o objetivo de promover o empreendedorismo, através de três pontos-chave: a criação e dinamização de uma rede de empreendedorismo e inovação; aceleração de startups com ambição global e facilitação do acesso a investimento e a criação de espaços, serviços e produtos focados no empreendedor. Entre as 2,5 mil candidaturas recebidas, a Beta-i ajudou à dinamização de 430, das quais 130 estão no ativo.


Clique para ler a bio do autor  Clique para fechar a bio do autor