Startup portuguesa vence financiamento europeu para PME altamente inovadoras

InovaçãoNegóciosStartup

A TWEVO é uma das vencedoras do SME Instrument, um veículo de financiamento do Horizonte 2020, que seleciona os projetos mais inovadores e disruptivos, com elevado potencial de criar novos mercados ou revolucionar existentes, no âmbito das pequenas e médias empresas (PME) de toda a Europa. 

A startup criada por Carlos Ribeiro, docente e investigador do Departamento de Engenharia Eletrotécnica da Escola Superior de Tecnologia e Gestão do Politécnico de Leiria (ESTG/IPLeiria), ficou em quinto lugar entre mais de 650 candidaturas de toda a Europa.

Numa primeira fase, a Twevo irá receber financiamento para fazer uma avaliação do mercado e obter feedback relativamente à aceitação e potencial do produto, e numa segunda fase, poderá candidatar-se novamente a financiamento para colocação da solução no mercado.

«O projeto foi apresentado por nós diretamente à Agência Europeia para as PME e consiste num modem sem fios para comunicar com robôs e drones, que foi desenvolvido no âmbito da minha investigação de pós-doutoramento, no Politécnico de Leiria», explica, em comunicado, Carlos Ribeiro.

A startup foi criada em fevereiro de 2017 e está sedeada na Incubadora Instituto Pedro Nunes, em Coimbra, mas o projeto que lhe deu origem já havia sido distinguido pelo programa Carnegie Mellon Portugal Entrepreneurship in Residence (inRes) 2016 focado em links avançados sem fios para veículos profissionais remotos.

«Construímos um modelo de negócio para uma startup que desenvolve links sem fios avançados, direcionados aos segmentos UAV/UGV profissionais. A nossa tecnologia responde efetivamente às necessidades identificadas no mercado», refere o investigador.

«Estas ligações sem fios são adaptáveis aos requisitos dos clientes, e desafiam os limites do que está atualmente disponível no mercado, já que permite que novas aplicações transmitam enormes quantidades de informação em tempo real», justifica.

Durante o processo de candidatura, Carlos Ribeiro recebeu aconselhamento da parte do Gabinete de Promoção do Programa-Quadro, que tem tutela da Fundação para a Ciência e a Tecnologia e da Agência Nacional de Inovação, e que em Portugal promove a participação das empresas neste programa de financiamento europeu.

 


Clique para ler a bio do autor  Clique para fechar a bio do autor