Startup Lisboa anuncia área para mais empresas tecnológicas

EmpresasNegócios

A Startup Lisboa, localizada na Rua da Prata, na Baixa Lisboeta, anunciou recentemente um novo espaço para mais 50 startups. O edifício que foi cedido por dez anos pela Caixa Geral de Depósitos deverá começar a receber startups já no próximo mês de março. Com cinco pisos e mil metros quadrados, o espaço poderá alojar

A Startup Lisboa, localizada na Rua da Prata, na Baixa Lisboeta, anunciou recentemente um novo espaço para mais 50 startups.

339217_452070448179563_1222234164_o-1024x768O edifício que foi cedido por dez anos pela Caixa Geral de Depósitos deverá começar a receber startups já no próximo mês de março. Com cinco pisos e mil metros quadrados, o espaço poderá alojar 50 startups e mais de 250 empreendedores.

“O novo espaço vai permitir receber os projetos que hoje não podemos receber no outro edifício. Com este novo espaço podemos tornar-nos mais agressivos na captação de novos projetos”, revela o Diretor da Startup Lisboa, João Vasconcelos.

A Startup Lisboa passa assim a ocupar dois edifícios dedicados à incubação de ideias de negócio de Web, software e tecnologias móveis. O primeiro edifício foi cedido pelo Montepio Geral e o segundo pela CGD.

“No caso da CGD, há mesmo um envolvimento no projeto da Startup Lisboa. Para a CGD, a participação neste projeto pode ser importante no que toca ao apoio a startups que precisam de capital de risco”, acrescenta o responsável.

Os bancos continuam a ser proprietários do espaço, cedendo-o apenas por dez anos à incubadora. As obras no segundo edifício deverão arrancar brevemente, durando cerca de quatro ou cinco meses. Em março já devem estar operacionais dois dos cinco pisos.

Graça Fonseca, vereadora da Economia e da Inovação da Câmara Municipal de Lisboa, recorda que a reabilitação da Baixa Lisboeta também contempla outros setores: “É viável ter um nó central ligado às tecnologias, mas há também interesse que sejam lançados novos negócios, que não têm de ser tecnológicos, mas podem ser complementares”.

António Costa, Presidente da CML, esteve presente na apresentação do novo espaço e elogiou o papel que a Startup Lisboa tem assumido na reabilitação do tecido económico e dos bairros históricos: “Dos cem projetos que passaram pela Startup Lisboa, há 20 que hoje estão a trabalhar em lugares próprios dentro da cidade”.


Clique para ler a bio do autor  Clique para fechar a bio do autor