SRF disputada pela Altice e pela Bouygues

EmpresasNegócios

A Bouygues estendeu a sua oferta para adquirir a SFR, a segunda maior operadora móvel de França, numa altura em que se avista um fim para as negociações entre a Vivendi e a Altice do multimilionário Patrick Drahi. A empresa fundada por Martin Bouygues ainda garantiu uma taxa de 500 milhões de euros, na eventualidade

A Bouygues estendeu a sua oferta para adquirir a SFR, a segunda maior operadora móvel de França, numa altura em que se avista um fim para as negociações entre a Vivendi e a Altice do multimilionário Patrick Drahi.

sfr

A empresa fundada por Martin Bouygues ainda garantiu uma taxa de 500 milhões de euros, na eventualidade de as autoridades de antitrust rejeitarem a sua proposta para fundir a SFR com a Bouygues Telecom. A extensão da sua proposta daria à Vivendi “tempo para examinar a sua oferta, de forma detalhada e tranquila”.

No passado mês de março, a Vivendi escolhera a Altice, em detrimento da Bouygues, para negociações exclusivas relativamente à venda da SFR, que terminarão dia quatro de abril.

Cada uma das licitações, tanto da Altice, como da Bouygues, são superiores a 20 mil milhões de dólares. Enquanto a Vivendi prefere a proposta da Altice, devido à maior facilidade com que o negócio será aprovado pelas autoridades de antitrust, a empresa francesa quer que a Altice aproxime o valor da sua oferta do da Bouygues.

A Altice está a ponderar se esse é um passo que está disposta a dar. Contudo, a empresa não avançou qualquer pormenor relativo a esta decisão, e recusou-se a prestar mais declarações.


Clique para ler a bio do autor  Clique para fechar a bio do autor