Smartphones ultrapassam computadores no ecommerce

e-Commercee-Marketing

Os smartphones ultrapassaram os computadores como principal fonte de tráfego nos sites de ecommerce, segundo dados da Demandware, uma empresa que acaba de ser comprada pela Salesforce.com.

Embora os números sejam focados no mercado dos Estados Unidos, este é um marco notável: no primeiro trimestre do ano, os smartphones representaram 45,1% do tráfego de ecommerce, contra 45% dos computadores.

De acordo com a Bloomberg, que cita o relatório, a Demandware prevê que este número continue a crescer rapidamente. No fina de 2017, espera a especialista, os smartphones serão responsáveis por 60% de todo o tráfego de ecommerce.

Esta tendência, que muitos dirão ser inevitável, coloca desafios e problemas. Por um lado, permite aos retalhistas chegarem até ao consumidor de forma mais ubíqua – em qualquer lugar, a qualquer hora, podendo capitalizar na georreferenciação. Por outro lado, também é mais difícil simplificar o processo de compra num ecrã mais pequeno. A Demandware revela que a taxa de concretização de compras (com tudo o que o checkout envolve) é 11% mais baixa em smartphones.

Ainda assim, este canal é cada vez mais importante – as receitas provenientes de ecommerce móvel triplicaram desde 2013, segundo a comScore. Há muito que se houve falar de “mobile first” e “mobile only”, mas também é verdade que se fala do mundo pós-apps. Como serão as interações com retalhistas no futuro? Por enquanto, as grandes cadeias de retalho estão a investir na criação de aplicações próprias com experiências simples e satisfatórias.

Em Portugal, segundo a ACEPI, o comércio eletrónico B2C e C2C atingiu em 2014 os 2,9 mil milhões de euros – mas não há distinção entre plataformas.


Clique para ler a bio do autor  Clique para fechar a bio do autor