Smartphone russo tem ambições globais

Mobilidade

A russa Yota Devices lançou o seu primeiro smartphone, esperando que o ecrã de dois lados consiga entrar nos mercados da Europa e Médio Oriente e ganhar quota de mercado aos seus rivais. A empresa espera vender os telemóveis em vinte países no próximo ano, depois da estreia em 2013 na Rússia, Áustria, França, Alemanha

A russa Yota Devices lançou o seu primeiro smartphone, esperando que o ecrã de dois lados consiga entrar nos mercados da Europa e Médio Oriente e ganhar quota de mercado aos seus rivais.

YotaPhoneA empresa espera vender os telemóveis em vinte países no próximo ano, depois da estreia em 2013 na Rússia, Áustria, França, Alemanha e Espanha.

O CEO da Yota Device, Vlad Martynov, afirmou que “se realmente atingirmos o ponto, estamos felizes porque em dois ou três anos toda a gente vai estar a copiar-nos”. Atualmente, não há intenção de lançar o smartphone nos Estados Unidos.

Os analistas mostram-se céticos em relação ao smartphone. Denis Kuskov, analista da TelecomDaily, declarou que “na mente das pessoas, Yota Devices é uma empresa sem nome, não é uma Samsung ou Nokia ou Apple, que têm os seus fãs. Ninguém espera um YotaPhone”. “Na melhor das hipóteses, vai estar limitado a várias dezenas de milhares em 2014. A empresa está focada em desenvolver um único modelo e os custos da produção não vão ser cobertos”.

O YotaPhone tem um ecrã LCD de um lado com um ecrã electronic paper desenhado para imitar a aparência de tinta normal em papel, que está sempre ligado. O ecrã de papel eletrónico pode mostrar mensagens escritas, mapas, tempo e notícias, funcionando, também, como e-book.

O telemóvel, baseado no sistema operativo Android, vai estar à venda na Europa por 499 euros.


Clique para ler a bio do autor  Clique para fechar a bio do autor