Siemens premeia Jovens Empreendedoras no Apps for Good 2017

AppsMobilidade

Este Prémio tem o objetivo de promover a engenharia no feminino, em particular na área das Tecnologias de Informação.

Este ano a Siemens distinguiu as melhores participações femininas no âmbito do movimento tecnológico educativo Apps for Good. O prémio Jovens Empreendedoras no Digital, patrocinado pela Siemens Portugal, foi entregue a Júlia Pereira, da Escola Domingos Rebelo (Açores), que apresentou a aplicação Good Life, destinada a combater hábitos de vida pouco saudáveis, a Matilde Teixeira, da Escola D. Sancho II (Alijó), que integrou o projeto Fashion4All, app destinada a reunir tendências de moda de forma organizada, e a Mónica Marona, da Escola Dr. Ginestal Machado (Santarém). Esta última aluna fez parte da equipa vencedora do primeiro prémio da competição, com a app Pensa Antes de Publicar, destinada a fomentar a leitura pelas crianças, ao utilizar a realidade virtual para animar as imagens dos livros. 

 A atribuição do prémio Jovens Empreendedoras no Digital é mais uma forma encontrada pela Siemens para estimular e ajudar a promover a engenharia no feminino, em particular a área das Tecnologias de Informação (TI). Em relação ao ano passado houve um aumento de 5% no número de raparigas a participarem, representando agora 32% do total de participantes.

“A Siemens Portugal continua empenhada em atrair cada vez mais mulheres para a área da engenharia e das Tecnologias de Informação, que ainda é predominantemente ocupada por homens. A atribuição do prémio Jovens Empreendedoras é uma forma de estimular, reconhecer e valorizar o talento feminino nacional nestas áreas digitais e de impulsionar o empreendedorismo nas jovens portuguesas” diz Pedro Pires de Miranda, CEO da Siemens Portugal.

O segundo prémio Apps For Good 2017 foi para a app Articulândia, da Escola Secundaria Rafael Bordalo Pinheiro (Caldas da Rainha), que permite ter sessões de terapia da fala em qualquer lugar e a qualquer hora. Ideal para pessoas que tiveram AVC ou que não têm dinheiro. Já o terceiro prémio foi atribuído à aplicação

Book Trade, um suporte à divulgação de livros para troca, desenvolvido por alunos da Escola Secundaria S. João Madeira.

A final do Apps for Good 2017 teve lugar na Fundação Gulbenkian e colocou em competição 21 aplicações finalistas, previamente selecionadas de um total de 140. No total, participaram nesta 3.ª edição 106 escolas e 1744 alunos dos ensinos básico e secundário, que conceberem aplicações para telemóveis, ou outros suportes tecnológicos móveis, com fins sociais.

Segundo dados do CDI, 83% dos jovens participantes afirmaram que o Apps For Good os ajudou a definir o futuro profissional, 70% dos quais manifestando desejo de seguir uma carreira na área das tecnologias digitais e aplicações.

 Lançado há cinco anos pelo CDI, o Apps for Good é um programa que pretende seduzir jovens (entre os 10 e 18 anos) e professores para a utilização da tecnologia como forma de resolver os seus problemas, propondo um novo modelo educativo mais intuitivo, colaborativo e prático. O objetivo do programa é o desenvolvimento de Apps para smartphones e tablets que possam contribuir para a resolução de problemas relacionados com a sustentabilidade do mundo em que vivemos. A Siemens Portugal é parceira do Apps For Good desde a sua primeira edição.