SES provê conectividade via satélite para sobrevivientes no Nepal

OperadoresRedesSoftware

A SES está a fornecer, como um dos parceiros privados do projeto emergency.lu, serviços de conectividade vitais para o Nepal, depois da região ter sido atingida por um terremoto de magnitude 7.8 que causou mais de 5.500 mortes. Os serviços de comunicação oferecidos pelo projeto fornecem conectividade às equipas de salvamento e voluntários no Nepal

A SES está a fornecer, como um dos parceiros privados do projeto emergency.lu, serviços de conectividade vitais para o Nepal, depois da região ter sido atingida por um terremoto de magnitude 7.8 que causou mais de 5.500 mortes.

ses

Os serviços de comunicação oferecidos pelo projeto fornecem conectividade às equipas de salvamento e voluntários no Nepal e estão a ser implantados em colaboração com o Cluster de Telecomunicações de Emergência liderada pelo Programa Alimentar Mundial da ONU (World Food Programme). O terremoto danificou a infraestrutura de telecomunicações do país, principalmente na região entre Katmandu e Pokhara.

“Quando um desastre natural como este terremoto no Nepal ocorre, as linhas fixas de telecomunicação e sistemas sem fios terrestres são inevitavelmente destruídas ou sobrecarregadas por pessoas em busca de ajuda e informações ou para entrar em contatco com parentes”, comenta Gerhard Bethscheider, Managing Director da SES Techcom Services. “Os satélites são a única infraestrutura que permite que redes de comunicações sejam restauradas rapidamente, o que facilita a prestação da assistência e ajuda humanitária coordenada na região montanhosa do Nepal”.

Atualmente, um kit de instalação rápida já foi encaminhado e está operacional na região. Outros dois serão redirecionados para o Nepal a partir de Vanuatu, onde um kit permanecerá em funcionamento para ceder conectividade até que a infraestrutura local seja restaurada na ilha de Tanna. Todos os kits utilizam a rede de satélites SES para fornecer conexões confiáveis às áreas afetadas.

O emergency.lu é uma parceria público-privada entre o governo de Luxemburgo e três empresas sediadas no país europeu, a SES Techcom Services, a Hitec Luxembourg e a Luxembourg Air Ambulance, que são responsáveis pelo design e operação da plataforma. Ele utiliza capacidade dedicada dos satélites SES e infraestruturas terrestres para restabelecer redes de comunicações em apoio às operações de ajuda humanitária.

Uma vez encaminhado para a região de catástrofe, o emergency.lu pode ser conectado à antena de um satélite em menos de uma hora, o que permite links de upload e download para fornecer conectividade à Internet de alta velocidade para a transmissão de voz, dados e imagem. Com isso, é possível auxiliar na troca de relatórios, fotos, vídeos e até mesmo chamadas baseadas em VoIP, que podem salvar milhares de vidas.

*Jocelyn Auricchio é jornalista da B!T no Brasil


Clique para ler a bio do autor  Clique para fechar a bio do autor