Serviços VoIP oferecidos pelas OTT vão fazer perder às operadoras 386 mil milhões

MobilidadeNegócios

O tráfego VoIP, ou de voz sobre IP, irá crescer vinte por cento por ano entre 2012 e 2018, mesmo que as operadoras vejam poucos ingressos deste crescimento. Face à celebração do Mobile World Congress na próxima semana, a consultora Ovum publicou previsões que vão fazer saltar dos seus lugares todos os diretores de telecomunicações

cintillo-mwc2014O tráfego VoIP, ou de voz sobre IP, irá crescer vinte por cento por ano entre 2012 e 2018, mesmo que as operadoras vejam poucos ingressos deste crescimento.

VoIPFace à celebração do Mobile World Congress na próxima semana, a consultora Ovum publicou previsões que vão fazer saltar dos seus lugares todos os diretores de telecomunicações que a partir de domingo se encontrem na cidade condal: entre 2012 e 2018 os operadores deixaram de ganhar 386 mil milhões de clientes que utilizam soluções VoIP over-the-top (OTT), como o Skype ou Microsoft Lync. As percas, diz Emeka Obiodu, analista da Ovum, irão estar relacionadas com as chamadas, incluindo roaming.

No seu estudo, “Consumo OTT VoIP Outlook: 2013 a2018”, a consultora calcula que o tráfego de VoIP irá crescer uma média anual de 20 por cento durante o período estudo, até os 1,700 biliões de minutos em 2018.

Como não pode ser de outra maneira, as melhorias na capacidade e velocidade das redes de banda larga serão a chave, juntamente com as melhorias dos próprios dispositivos móveis.

“O uso do VoIP irá crescer nos próximos cinco anos para se converter na principal tecnologia para a entrega de voz através da infraestrutura de telecomunicações”, assegura Emeka Obiodu.

O analista explica também que na América do Norte, onde há uma ampla oferta de pacotes de voz, as operadoras têm sido capazes de assegurar os seus ingressos a tempo dando a liberdade aos utilizadores para utilizar qualquer serviço de voz que desejem. Sem embargo, na Europa Ocidental e Ásia as operadoras perderão ingressos por chamadas VoIP que se origem desde a sua infraesturura de banda larga fixa.


Clique para ler a bio do autor  Clique para fechar a bio do autor