Serviço da Ericsson quer operadoras e utilizadores lado a lado

AppsMobilidade

Para que a perceção quanto ao desempenho das redes seja a mesma tanto por parte das operadoras como dos utilizadores, a Ericsson desenvolveu um serviço cujo objetivo é permitir a otimização das redes. O App Experience Optimization será lançado no Mobile World Congress, na próxima semana. O Mobile World Congress será o palco do lançamento

Para que a perceção quanto ao desempenho das redes seja a mesma tanto por parte das operadoras como dos utilizadores, a Ericsson desenvolveu um serviço cujo objetivo é permitir a otimização das redes. O App Experience Optimization será lançado no Mobile World Congress, na próxima semana.

ericsson1

O Mobile World Congress será o palco do lançamento do App Experience Optimization, o novo serviço da Ericsson a pensar nas operadoras e nos consumidores que parecem ter visões diferentes quanto às características que medem a qualidade das redes. Na próxima semana, a empresa estará no congresso de Barcelona para discutir o cenário de mudança da Sociedade em Rede e apresenta o projeto que pretende melhorar as ofertas das operadoras e colocá-las lado a lado com os utilizadores.

Esta aproximação de visões é descrita como essencial, pois os indicadores de performance tradicionais (KPIs) parecem já não ser suficientes para oferecer aos utilizadores a resposta às suas exigências, nomeadamente, no que diz respeito à experiência nos smartphones.

O crescente número de aplicações móveis e a variedade de funções que abarcam impõem este tipo de otimização das redes, já que o principal foco deixará de ser os dados para passarem a ser as apps.

Para fazer face à nova realidade, a Ericsson desenvolveu o App Experience Optimization, um serviço que dá a conhecer a “real experiência de utilização local da app relacionando-a com os KPIs da rede”, como explica a empresa, em comunicado. Os especialistas a trabalhar no projeto irão, depois, aproveitar esses dados recolhidos para modificar as atividades relacionadas com as aplicações para torná-las mais coincidentes com as necessidades dos utilizadores.

Para exemplificar este tipo de necessidades, Ameet Suri, do Facebook, explica que para além de apostar na criação de aplicações que utilizem menos dados, é necessário também construir “uma infraestrutura mais eficiente que sirva as pessoas que estão em áreas com uma largura de banda mais reduzida”. Suri acrescenta que este tipo de estratégia permitirá que as operadoras direcionem “os seus investimentos de uma forma eficiente para melhoramento da rede nas áreas que afetem a maioria dos utilizadores, o que será de grande utilidade para os dois terços do mundo que ainda não têm conectividade”.

Jason Marcheck, da Current Analysis, louva a iniciativa afirmando que “tal permite um desempenho de rede superior que é mais valorizado pelos utilizadores” e explica que o App Experience Optimization resulta do facto da Ericsson ter prestado atenção “à forma como a interação do utilizador com a rede afeta os clientes dos seus operadores”.


Clique para ler a bio do autor  Clique para fechar a bio do autor