Semáforos da cidade de Lisboa vão ser mais eficientes [atualizado]

InovaçãoProjetosSetor PúblicoTecnologia Verde

A Soltráfego vai substituir mais de 20 mil lâmpadas convencionais dos semáforos da cidade de Lisboa por óticas LED. A iniciativa parte do programa da Câmara Municipal e da Lisboa E-Nova para aumentar a eficiência energética da capital.

Especializada em soluções para cidades inteligentes, a portuguesa Soltráfego, parceira tecnológica da Galp Energia e da Vivapower, vai modernizar o sistema de iluminação dos semáforos da cidade, fortalecendo a Estratégia de Eficiência Energética da Câmara de Lisboa.

O projeto, que começou este mês e deverá terminar no fim do ano, foi entregue à Soltráfego por meio de um concurso público internacional e, segundo fontes oficiais, este é “o primeiro contrato de performance energética realizado com uma entidade pública em Portugal”.

O custo do projeto é atribuído à Galp Energia, à Vivapower e à Soltráfego, embora, como diz esta última em comunicado, seja “amortizado pelas economias obtidas através da redução da fatura energética da CML”.

As novas lâmpadas LED (Díodo Emissor de Luz) vão permitir alcançar uma maior eficiência energética dos semáforos e oferecer uma maior visibilidade, acabando com o chamado “efeito fantasma” (como, por exemplo, quando o sol incide sobre o semáforo e não se consegue ter a certeza qual a luz que está acesa).

O diretor-geral da Soltráfego, Carlos Oliveira, explica, em comunicado, que “a intervenção em 8.500 semáforos irá permitir ao município de Lisboa uma poupança significativa em energia e a modernização de todo o sistema de iluminação dos semáforos com recurso à tecnologia LED, sem qualquer custo”. O responsável prevê uma poupança de aproximadamente 95 por cento na fatura de energia da Câmara Municipal de Lisboa, a par de uma redução dos encargos da ordem dos 850 mil euros anuais.

Dados da ERSE – Entidade Reguladora dos Serviços Energéticos mostram que a vida útil de um semáforo com lâmpada LED é de 10 anos, ao passo que um semáforo com a convencional lâmpada incandescente dura uma média de seis a nove meses.

A Soltráfego disse à B!T que “Na área de eficiência energética, a Soltráfego possui um longo historial de colaboração com as agências de energia e com os municípios no diagnóstico, projecto e substituição de 60.000 semáforos incandescentes por tecnologia LED nos últimos 5 anos, com reduções de consumo superiores a 85%”.


Clique para ler a bio do autor  Clique para fechar a bio do autor