Sector segurador apresenta uma maturidade digital elevada

Big DataCloudData-StorageNegócios

A Capgemini Portugal em cooperação com a Associação Portuguesa de Seguradoras (APS), anunciou os resultados do primeiro estudo sobre a maturidade digital do sector segurador em Portugal.

A Capgemini Portugal, em associação com a APS, realizou um estudo de avaliação de maturidade digital do sector segurador português que envolveu 26 dos associados da APS.

As principais conclusões do estudo indicam que o sector segurador, a nível global, apresenta uma maturidade digital elevada. Os resultados sugerem que o sector segurador português regista, em média, uma maior propensão à implementação de iniciativas digitais e à gestão da transformação, apesar da heterogeneidade verificada nas distintas empresas.

Diz o estudo que este posicionamento permite às seguradoras a obtenção de uma vantagem competitiva e de efectividade de vendas, por exemplo. Mas para se manter actual e competitivo o sector segurador português deve evoluir no sentido de uma tomada de decisão de negócio informada, através da utilização de ferramentas de business analytics, desenvolver uma presença mais pró-activa nos social media e no mobile, adoptar soluções na cloud, que permitam a realização de tarefas a partir de qualquer lugar, e reforçar o alinhamento da visão do futuro digital entre a cultura, os elementos de gestão e a transformação digital, lê-se no estudo.

O documento refere ainda que as seguradoras em Portugal são maioritariamente “Tech Savy”, apresentando maior propensão à introdução de novas ferramentas que melhorem as operações e o modelo de negócios. “É por isso que o sector desenvolve iniciativas no sentido de estabelecer uma visão e um modelo de governance para um futuro mais digital, alinhando uma cultura digital com investimentos na inovação tecnológica”.

“A transformação digital do tecido segurador nacional é essencial à sua sustentabilidade, por via da criação de valor e da eficiência operacional, perante um mercado cada vez mais globalizado e competitivo. Importa, portanto, analisar o impacto real, a nível da maturidade digital do sector, dos investimentos que têm vindo a ser realizados a nível da melhoria da experiência do cliente, da optimização de operações e da sofisticação da oferta de serviços. Com estes objectivos em mente, e com a intenção de identificar aspectos de evolução para o sector segurador português, é que desenvolvemos este estudo conjunto entre a APS e a Capgemini, sobre a maturidade digital do sector. Este trabalho teve elevada receptividade da parte das empresas associadas da APS que participaram no inquérito realizado, tendo sido enfatizada a relevância de se fazer, pela primeira vez, um estudo a este sector em Portugal, com dados uniformizados e comparáveis à realidade global”, referiu em comunicado Pedro Seixas Vale, presidente da APS.

João Matos Gomes, Head of Consulting Services da Capgemini Portugal afirma que “a economia global está a atravessar a sua 3ª revolução industrial, alimentada pela digitalização da sociedade, com impacto na crescente globalização dos mercados e na importância da informação na economia. O impacto nas empresas é significativo, observando-se uma diminuição da competitividade daquelas que não sabem adaptar o seu modelo de negócio à realidade digital, ao mesmo tempo que as empresas tecnológicas ganham predominância. O sector segurador, tradicionalmente conservador, não é alheio a este fenómeno, observando-se, a nível global, uma evolução muito positiva da maturidade digital. Faltava, em Portugal, um diagnóstico ao nível de sofisticação digital do sector, vindo este estudo colmatar essa lacuna, e disponibilizar, às companhias associadas da APS, uma indicação de quais as áreas mais relevantes para o reforço da sua maturidade digital. Esperamos, com este relatório, promover o awareness e proporcionar um fórum de discussão sobre o tema do digital no sector segurador, disponibilizando, deste modo, alavancas para a melhoria da sua transformação digital.”

A Capgemini garante que o estudo realizado fornece à APS e aos seus associados um mapa para um futuro mais digital perspectivando uma evolução para o sector português que passará por, por exemplo, promover o contínuo alinhamento de iniciativas entre os elementos de gestão (executivos seniores e managers) face à visão e execução do futuro digital, oupela implementação de ferramentas web based que facilitem a monitorização e a análise dos dados/ informações provenientes de diversas fontes e que permitam uma adaptação dos produtos/serviços em função da procura.

Este estudo, que teve por base uma amostra de 26 dos associados da APS, assenta numa metodologia proprietária, desenvolvida em parceria pela Capgemini e pelo MIT Center for Digital Business.


Clique para ler a bio do autor  Clique para fechar a bio do autor