SAP otimista face a resultados do terceiro trimestre

Fornecedores de SoftwareNegóciosProjetos

A alemã SAP, fabricante de software, aumentou hoje as suas previsões para as vendas dos seus sistemas de computação cloud, alegando que muitas das suas concorrentes não conseguiram igualar os níveis de segurança dos seus programas. Livrando as empresas de servidores volumosos, a computação cloud permite que as empresas reduzam as suas despesas através da

A alemã SAP, fabricante de software, aumentou hoje as suas previsões para as vendas dos seus sistemas de computação cloud, alegando que muitas das suas concorrentes não conseguiram igualar os níveis de segurança dos seus programas.

SAP

Livrando as empresas de servidores volumosos, a computação cloud permite que as empresas reduzam as suas despesas através da adoção de sistemas que utilizam data centers remotos operados por uma empresas tecnológica.

A empresa tem esperanças de que este ano as receitas geradas pelas subscrições de plataformas cloud e pelo suporte às mesmas fiquem entre os mil milhões e os 1,05 mil milhões de euros, tendo anteriormente previsto valores entre os 950 milhões e os mil milhões de euros.

No segundo trimestre, as receitas da SAP do segmento de cloud subiram 32 por cento para os 242 milhões de euros, o que potenciou um crescimento de dois porcento nas receitas globais, que chegaram aos 4,2 mil milhões de euros.

Bill McDermott, diretor executivo da SAP, afirmou que espera poder tirar o tapete debaixo dos pés de fornecedores como a Salesforce.com e a Workday, que se dedicam exclusivamente à distribuição de serviços cloud.

Harald Schnitzer, da DZ Bank, disse que o crescimento do setor de cloud poderá em grande escala beneficiar o negócio da SAP, visto que, segundo o analista, opera, a vários níveis, acima de alguns dos seus concorrentes.

É esperado que este ano os gastos globais corporativos em serviços cloud aumentem até 20 por cento, para os 129 mil milhões de euros, de acordo com a consultora norte-americana IHS, que acrescentou que, até 2017, atingir-se-ão os 173 mil milhões de euros.

Por seu lado, a tecnológica germânica faz figas para que nos quatro anos vindouros as suas receitas anuais originadas pelo ramo de cloud cheguem aos 3,5 mil milhões de euros.

Rivais da SAP de menores dimensões têm, segundo McDermott, caído nas teias de grandes dificuldades, visto que os CEO destas empresas têm querido integrar várias aplicações numa única plataforma cloud, mas chegaram à conclusão que os fornecedores não dispunha das medidas de segurança necessárias para que tal fosse exequível.

O executivo avançou, ainda, que cada vez mais são as pequenas empresas de cloud que estão a combater problemas de segurança e de encriptação de dados, pelo que são várias as entidades a preferirem os serviços e garantias disponibilizados por fornecedores mais fortes.

Globalmente, a SAP esgrima com pontífices do universo cloud como a Oracle e a IBM, e comunicou um aumento de quatro por cento dos lucros operacionais do terminado segundo trimestre, profetizando que este ano os ganhos operacionais ficarão entre os 5,8 e os seis mil milhões de euros.


Clique para ler a bio do autor  Clique para fechar a bio do autor