SanDisk prevê quebra na receita para 2015

Negócios

Pela primeira vez, em três anos, a marca de dispositivos de armazenamento de memória apresenta uma previsão dececionante para todo o ano de 2015. O anúncio chega depois dos resultados do primeiro trimestre revelarem uma quebra na receita de 12 por cento. As dificuldades em cumprir os prazos de entrega e em apresentar preços e

Pela primeira vez, em três anos, a marca de dispositivos de armazenamento de memória apresenta uma previsão dececionante para todo o ano de 2015. O anúncio chega depois dos resultados do primeiro trimestre revelarem uma quebra na receita de 12 por cento.

Sandisk's new solid state drive is displayed at the Sandisk booth during the 2014 Computex exhibition at the TWTC Nangang exhibition hall in Taipei

As dificuldades em cumprir os prazos de entrega e em apresentar preços e produtos competitivos num mercado cada vez mais saturado têm contribuído para o abrandamento da SanDisk. Porém, só agora são visíveis os reais efeitos destes problemas.

No primeiro trimestre de 2015, a receita da SanDisk chegou apenas aos 1,33 mil milhões de dólares o que representa uma queda de 12 por cento. Há dois anos que a empresa não apresentava valores tão baixos e terá sido este o principal motivo para Judy Bruner, CFO da empresa, anunciar uma previsão de quebra para todos os trimestres, até ao final deste ano.

Caso as previsões se venham a confirmar, este será o primeiro momento de quebra anual em três anos. A CFO aponta para um receita que deverá variar entre os 5,4 mil milhões e os 5,7 mil milhões de dólares, valores abaixo dos antecipados pelos analistas que esperavam 6,15 mil milhões de dólares.

Para o próximo semestre, a SanDisk prevê receita entre os 1,15 mil milhões e os 1,23 mil milhões de dólares.

As consequências destas previsões também poderão fazer-se sentir muito em breve. A estratégia da empresa para combater este cenário passa por despedir funcionários, especialmente nos setores que não contribuem para o fabrico dos produtos. Cerca de cinco por cento da força de trabalho será reduzida.


Clique para ler a bio do autor  Clique para fechar a bio do autor