Samsung utiliza smartphone para promover Tizen OS

InovaçãoMobilidadeNegóciosWearable

Acredita-se que durante o MWC a Samsung apresente o seu Galaxy Gear 2 e um novo smartphone baseados em Tizen com a intenção de tornar mais popular o seu sistema operativo. Se os rumores que circulam pelo mercado estão corretos, a segunda versão do Galaxy Gear, o smartwatch da Samsung, basear-se-ão em Tizen e não

cintillo-mwc2014

Acredita-se que durante o MWC a Samsung apresente o seu Galaxy Gear 2 e um novo smartphone baseados em Tizen com a intenção de tornar mais popular o seu sistema operativo.

smartwatch

Se os rumores que circulam pelo mercado estão corretos, a segunda versão do Galaxy Gear, o smartwatch da Samsung, basear-se-ão em Tizen e não em Android como a versão anterior ou como a maioria dos smartphones da empresa sul-coreana.

O objetivo da Samsung é dar a conhecer o seu dispositivo no Mobile World Congress que terá lugar na próxima semana em Barcelona. Além disso, a empresa líder do mercado móvel, também tem estado a desenvolver um telefone inteligente baseado em Tizen, para apresentar no decorrer da feira tecnológica, que poderia chegar ao mercado durante o primeiro semestre do presente ano, segundo os rumores publicados pela cnet.

De qualquer forma, acredita-se que o produto estrela da Samsung na sua apresentação deste ano na MWC seja o Galaxy S5, a nova versão do seu telemóvel mais conhecido, baseado no sistema operativo Android da Google. Além disso, crê-se que empresa também está a desenvolver outras tecnologias wearable tal como bandas de fitness, e que as poderá apresentar no MWC ou ao longo dos próximos meses durante outros eventos.

A Samsung, que foi a marca impressa em um de cada três telemóveis inteligentes a nível mundial no ano passado, há já algum tempo que tenta desenvolver o seu próprio software e serviços. A empresa reconheceu que não é suficiente para que seja uma sólida empresa de hardware, e que também precisa de software e serviços para evitar acabar prejudicada pela comercialização dos dispositivos móveis.

A gigante eletrónica coreana tem estado a trabalhar no software de código aberto da Tizen, onde viu uma alternativa ao Android e uma forma de diminuir a sua dependência da Google. Contudo, o desenvolvimento enfrentou alguns contratempos, como por exemplo, quando o seu sócio japonês NTT DoCoMo decidiu suspender os seus planos para lançar um telemóvel Tizen no final de março.

A Samsung previu lançar, no início do ano passado, um smartphone de alta gama, baseado em Tizen para setembro de 2013, mas este lançamento atrasou-se vários meses. Mais tarde, em novembro, a Samsung anunciou que iria introduzir um smartphone Tizen em fevereiro.


Clique para ler a bio do autor  Clique para fechar a bio do autor