Samsung reforça aposta na produção de ecrãs OLED

Negócios

A Samsung Display quer investir 3,6 mil milhões de dólares na produção de ecrãs OLED. Com esta aposta, a sul-coreana pretende aligeirar os prejuízos sofridos pelo declínio das vendas de smartphones e reforçar o seu negócio de fornecimento de componentes eletrónicos. A unidade da fabricante de smartphones especializada no desenvolvimento de ecrãs e painéis disse à

A Samsung Display quer investir 3,6 mil milhões de dólares na produção de ecrãs OLED. Com esta aposta, a sul-coreana pretende aligeirar os prejuízos sofridos pelo declínio das vendas de smartphones e reforçar o seu negócio de fornecimento de componentes eletrónicos.

samsung oled

A unidade da fabricante de smartphones especializada no desenvolvimento de ecrãs e painéis disse à Reuters que investiria agora na produção de ecrãs OLED (díodo orgânico emissor de luz) de pequenas e médias dimensões, para integrarem dispositivos eletrónicos de consumo.

Segundo consta, a Samsung Display começará por fabricar ecrãs curvos, à semelhança dos do Galaxy Note Egde, disse a agência noticiosa. Desta forma, a empresa poderá conquistar novos contratos de fornecimento de componentes eletrónicos para smartphones e tablets, depois de a proprietária Samsung Electronics se ter apercebido que as suas vendas de smartphones causam mais prejuízo do que lucro.

A perda da posição de liderança nos mercados chinês e indiano, para fabricantes de menores dimensões, foi uma consequência dos preços elevados dos seus smartphones. Nestas regiões, os consumidores dão primazia a telemóveis de baixo custo que integram as mesmas funcionalidades que os da Samsung, como é o caso dos smartphones da chinesa Xiaomi e da indiana Micromax.

Aparentemente, a Apple poderá já ter conseguido, nos últimos três meses de 2014, usurpar o trono da Samsung, arrecadando o título de maior fabricante de smartphones a nível mundial.

Os investimentos da Samsung no seu segmento de componentes eletrónicos têm sido constantes e sólidos, mas a empresa terá agora que os avolumar para amortecer os danos infligidos pela queda contínua da sua quota no mercado dos smartphones.

Paralelamente à aposta na produção de ecrãs OLED, a Samsung deverá investir ainda na construção de uma central de fabrico de processadores na Coreia do Sul, durante a primeira metade deste ano.


Clique para ler a bio do autor  Clique para fechar a bio do autor