Samsung promete smartphones com o dobro da autonomia

InovaçãoInvestigaçãoMobilidadeSmartphones

O momento em que a bateria do smartphone chega ao fim deixa muitos de cabelos em pé. Por isso, a empresa sul-coreana desenvolveu um método capaz de duplicar a capacidade das baterias de iões de lítio, que se encontram nos modelos de smartphones correntes.

Como é que a Samsung alcançou este feito? Colocando camadas de grafeno, uma forma de carbono muito leve e resistente, sobre as nanopartículas de silício da bateria.  De acordo com um estudo publicado na revista Nature, esta combinação aumenta a capacidade energética do equipamento entre 1,5 e 1,8 vezes, quando comparada com o método tradicional.

A comandar a investigação estiveram In Hyuk Son e Jong Hwan Park, membros do Instituto Avançado de Tecnologia da Samsung e do Laboratório de Material Energético na Coreia. Neste momento, o processo de aplicação da patente está em curso, pelas mãos da Samsung.

Mas os utilizadores de smartphones ainda vão ter de continuar a gerir cuidadosamente a bateria dos seus aparelhos. Como refere a Business Korea, esta nova tecnologia só deve chegar ao mercado num período de dois a três anos.

Apesar de outros aspetos dos smartphones terem sofrido grandes progressos em anos recentes, como as câmaras e a velocidade de processamento, a bateria continua a ser uma das áreas tecnológicas menos desenvolvidas. Com dispositivos cada vez mais finos e potentes, o principal objetivo tem sido criar baterias mais pequenas, e não baterias mais duradouras.

Mais smartphones com Tizen?

E parece que está a caminho uma nova aposta da Samsung. Segundo fontes ligas à Reuters, a empresa está a planear o lançamento de mais smartphones equipados com Tizen, o seu próprio sistema operativo, para o final do ano.

A Samsung pretende criar um ecossistema próprio, com base no Tizen, que alimenta os seus smartwatches e televisões premium. Para isso, a empresa sul-coreana precisa de mais aparelhos a funcionar com o sistema, de modo a expandir a sua base de utilizadores e atrair novos criadores, dizem os analistas.

A empresa líder de mercado lançou o seu primeiro smartphone Tizen, Z1, na Índia, em janeiro. Desde então o dispositivo tem sido vendido no Sri Lanka e no Bangladesh. Até ao momento, já vendeu um milhão destes aparelhos no mercado indiano.


Clique para ler a bio do autor  Clique para fechar a bio do autor