Samsung KNOX Day para a segurança mobile

EmpresasNegóciosSegurança

A Samsung Portugal apresentou hoje a Samsung KNOX Day, uma iniciativa na qual foram discutidas as novas configurações da segurança da informação móvel, dado a crescente tendência da utilização híbrida de mobile, quer em contexto empresarial, quer em contexto pessoal. Como consequência da tendencial adoção de dispositivos móveis em ecossistemas empresariais, a Samsung considerou de

A Samsung Portugal apresentou hoje a Samsung KNOX Day, uma iniciativa na qual foram discutidas as novas configurações da segurança da informação móvel, dado a crescente tendência da utilização híbrida de mobile, quer em contexto empresarial, quer em contexto pessoal.

Samsung knox

Como consequência da tendencial adoção de dispositivos móveis em ecossistemas empresariais, a Samsung considerou de extrema importância a conceção de medidas de segurança informática que salvaguardem a integridade e a confidencialidade dos dados armazenados nos data centers das empresas.

Para tal, a Samsung desenvolveu uma solução que visa assegurar a privacidade da informação, tendo em consideração o exponencial crescimento das iniciativas Bring Your Own Device (BYOD), que convergem a utilização profissional e pessoal dos dispositivos móveis. Assim, a tecnológica sul-coreana apresentou a solução Samsung KNOX, um software baseado em Android que encripta a informação confidencial de que a empresa dispõe, possibilitando que assim o conteúdo sensível seja exclusivamente acedido por pessoal autorizado, cuja identidade e credenciais de segurança estão sujeitas a verificação pelo KNOX.

A cada vez maior adesão a políticas de BYOD e a utilização de dispositivos móveis, sejam smartphones ou tablets, em múltiplos contextos fazem emergir uma série de receios e de dúvidas relativamente à proteção da confidencialidade de informação e aos riscos associados à partilha de dados recorrendo a terminais mobile.

Sérgio Ferreira, diretor da Divisão de Negócios Empresariais para a Samsung Portugal, afirmou que as empresas não beneficiam ainda do potencial máximo dos dispositivos móveis como ferramentas de desenvolvimento e de interação entre trabalhadores, parceiros e empresa. Acrescenta que somente 30 por cento dos dispositivos móveis nas entidades empresariais são fornecidos pelas mesmas, o que faz com que os restantes 70 por cento pertençam ao corpo de funcionários. Neste aspeto, regista-se uma pobre gestão destes recursos, ou mesmo a falta dela.

Por sua vez, e segundo um estudo realizado pela IDC em Portugal, regista-se um declínio no número de vendas de computadores pessoais, ao passo que se denota uma clara dominância dos dispositivos móveis no setor tecnológico e no setor empresarial. Adivinha-se, então, uma unívoca supremacia dos mobile sobre os computadores, e o setor empresarial não será exceção.

Gabriel Coimbra, da IDC Portugal, avançou que o setor nacional de Serviços é o que, de momento, mais tem apostado na utilização de smartphones e tablets como ferramentas de trabalho para os funcionários, tanto em ecossistema profissional como pessoal. O executivo disse também que são mais de 30 por cento as empresas que proíbem o recurso a dispositivos externos quando em contexto profissional.

“Hoje em dia já não estamos presos a um local físico”, foram as palavras de João Paulo Cabecinha, diretor de Desenvolvimento, Gestão de Produto e Suporte Consultivo para a área empresarial da Portugal Telecom, relativamente à inegável inclinação do setor empresarial para a implementação de políticas mobile e para a adesão a iniciativas BYOD. Dada esta tendência, torna-se imperativo o recurso e a integração de soluções de segurança para dispositivos móveis, permitindo o trabalho seguro e preservando a confidencialidade das informações sensíveis da empresa, quer se trabalhe no próprio dispositivo, quer se opere em equipamentos disponibilizados pelo empregador. “A nova solução da Samsung traz à indústria um novo nível de segurança”.


Clique para ler a bio do autor  Clique para fechar a bio do autor