Samsung já perdeu 22 mil milhões com a crise do Note 7

MobilidadeSmartphones
0 0 Sem Comentários

O recall ordenado pela Samsung após dezenas de explosões do novo smartphone Galaxy Note 7 já ceifou 22 mil milhões de dólares do valor de mercado da empresa. Em plena crise, a marca sul-coreana está a fazer alterações na sua estrutura.

A mais recente é a nomeação de Lee Jae-young, filho do chairman da Samsung Lee Kun-hee, para o conselho de administração. A crise do Note 7 é já a pior dos últimos anos e coloca um freio abrupto no regresso ao crescimento da divisão de telemóveis da empresa. Tanto o Galaxy S7 como o Note 7 tinham sido muito bem recebidos pelo mercado.

Mas uma falha nas baterias do Note 7 provocou dezenas de explosões por todo o mundo, e a Samsung anunciou um recall global, parando também as vendas do smartphone. Os reguladores por todo o lado pediram aos consumidores para não utilizarem mais os aparelhos, procurando trocá-los junto da empresa. Lee Jae-young, que agora passa a ser vice-chairman, será formalmente eleito como nono elemento do conselho de administração após votação em outubro.

No entanto, as regras no país não permitem a Jae-young suceder ao seu pai na liderança enquanto este estiver vivo.

Desde sexta-feira, as ações da Samsung caíram mais de 11%, o maior declínio desde a crise de 2008. Os analistas agora temem que o impacto do problema seja maior que o previsto inicialmente, e mais oneroso que os mil milhões de dólares calculados para o recall. Além disso, a vantagem que a Samsung ganhou à Apple quando apresentou o telemóvel semanas antes do iPhone 7, desapareceu.


Clique para ler a bio do autor  Clique para fechar a bio do autor