Rupturas digitais vão afetar relacionamento com tecnologia, diz Gartner

EmpresasNegócios
0 0 Sem Comentários

A Gartner afirma que CIOs e líderes de TI estão a perceber que as rupturas (grandes transformações) vão transformar-se em algo comum com a mudança do universo pré-digital para o digital, ocupando o pensamento estratégico nos próximos anos.

Na recente pesquisa Cool Vendors 2016, a Gartner analisou as rupturas digitais que afetarão o relacionamento que temos com a tecnologia. O estudo examinou 456 perfis de Cool Vendors em 98 relatórios, explorando principalmente a digitalização e a Internet das Coisas (IoT, na sigla em inglês) para criar a próxima geração de inovação. Os dados obtidos oferecem oportunidades sem precedentes para explorar novos modelos de negócios, reduzir os ciclos de insights e obter resultados.

De acordo com a definição da Gartner, Cool Vendor é uma pequena empresa que oferece uma tecnologia ou serviço que tenha inovação, permitindo que os utilizadores façam coisas que não podiam fazer antes; impacto, com tecnologia que tem ou terá influência sobre os negócios, não sendo apenas a tecnologia por si só; e instigação, que tenha despertado o interesse da Gartner durante os últimos seis meses.

“Até agora, os resultados da revolução digital têm variado. Em alguns casos, como com a IoT, os avanços têm causado mudanças significativas tanto em tecnologia quanto nos negócios. Em outras ocasiões, a digitalização tem tido mais dificuldade para se destacar”, diz Darryl Plummer, vice-presidente da Gartner.

O executivo acrescenta que com todos os novos dados de clientes sendo gerados e coletados, as empresas estão a esforçar-se para entender o limite entre uma experiência personalizada para o cliente e uma em que eles sintam que sua privacidade está a ser invadida.

“Este é apenas um indicador de que a mudança para o digital – ou “DigiFlip”, como é chamada – não seja uma simples transformação, mas uma relação de oportunidades digitais e não digitais”, afirma.

Para reduzir as preocupações digitais, é importante distinguir os três tipos de inovação que acontecem periodicamente, segundo a Gartner: recursos (features), modas (fads) e rupturas (disruptions).

Quando um fornecedor adiciona recursos de tecnologia a um novo produto, ele pode, muitas vezes, estimular mudanças na maneira em que essa tecnologia é usada ou aplicada.

A Microsoft, cita o Gartner, tem acrescentado novas ferramentas a cada ano em seu pacote Office. Embora nem todos esses recursos sejam utilizados pelos clientes, a variedade tem ajudado a consolidar o Office como líder. Quando vistas de uma perspectiva de mudança, as alterações provocadas pela adição cumulativa de recursos não são disruptivas, mas sim evolutivas.

As rupturas, particularmente quando digitais, causam uma mudança primordial na qualidade ou na essência do objeto. Elas têm uma longevidade que ultrapassa a fase de excitação de uma moda e causam impacto tanto em questões mais próximas como nas distantes.


Clique para ler a bio do autor  Clique para fechar a bio do autor