Retalhistas investem em sistemas de pagamento mobile

AppsMobilidade

São cada vez os retalhistas que, rivalizando com a Visa, a MasterCard ou mesmo com a Google, estão a entrar no crescente e severamente competitivo mercado dos pagamentos através de dispositivos móveis, que asseguram a eliminação de custos sobre transações e o aumento da lealdade dos consumidores para com a loja. Diversos estabelecimentos comerciais esperam

São cada vez os retalhistas que, rivalizando com a Visa, a MasterCard ou mesmo com a Google, estão a entrar no crescente e severamente competitivo mercado dos pagamentos através de dispositivos móveis, que asseguram a eliminação de custos sobre transações e o aumento da lealdade dos consumidores para com a loja.

pagamentos mobile

Diversos estabelecimentos comerciais esperam que as suas aplicações de pagamento via smartphone, em vez do tradicional dinheiro ou cartões, permitam-lhes recolher informação mais detalhada e completa relativamente aos hábitos de compra dos clientes, o que, consequentemente, possibilitar-lhes-á a conceção de estratégias publicitárias mais eficazes e direcionadas.

Embora o número de empresas a entrarem neste já sobrelotado mercado, os bancos e empresas tecnológicas como a Google e a Apple detêm um jugo de titânio sobre este setor, e competem entre si para que a sua aplicação de pagamentos móveis seja adotada por toda a indústria.

Assim, para terem alguma hipótese no braço-de-ferro com estas empresas de peso, os retalhistas, para persuadirem os consumidores a recorrerem aos seus serviços, oferecem descontos e recompensas para aqueles que os usem, e, ao mesmo tempo, associam o historial de compras a uma tabela de lealdade e disponibilizam funcionalidades como listas de compras guardadas.

Reportando a uma investigação da Gartner, o mercado mundial de pagamentos móveis deverá crescer até três vezes mais até 2017, e registar 721 mil milhões de dólares em transações e mais de 450 milhões de utilizadores.

Desta fora, serão os retalhistas quem mais deverá beneficiar deste incremento, visto que uma multiplicidade de fornecedores de pagamentos deverão instigar a redução das taxas de que as lojas são obrigadas a pagar para que possam processar transações.

Morgan Stanley, que calculou que retalhistas em países em desenvolvimento gastaram até 150 mil milhões de dólares em 2012 para que pudessem aceitar cartões de pagamento.

Incerto é ainda de que forma evoluirá o setor comercial dos pagamentos por dispositivos móveis, visto que os bancos e as empresas de cartões de pagamentos retêm ainda um papel de liderança em todos os processos de pagamento.

Adivinha-se que as aplicações de pagamento mobile dos retalhistas tenham de lutar para conquistar um bom posicionamento no mercado, visto que pouco provável será que os consumidores estejam dispostos a utilizar uma panóplia de diferentes serviços para diversas lojas. Contudo, o sucesso da Starbucks em combinar pagamentos móveis e promoções alvitra que grandes entidades atingir resultados muito positivos neste âmbito.


Clique para ler a bio do autor  Clique para fechar a bio do autor