Ranking aponta os melhores antivírus de 2014

CyberwarSegurançaSoftware

O laboratório AV-Comparatives divulgou, no seu mais recente relatório de segurança, quais são os melhores e mais confiáveis antivírus disponíveis no mercado. A avaliação comportou uma simulação, em tempo real, e levou em conta a capacidade do software de bloquear URL maliciosos e arquivos perigosos. Segundo a pesquisa, foram centenas deles abertos todos os dias e verificados

O laboratório AV-Comparatives divulgou, no seu mais recente relatório de segurança, quais são os melhores e mais confiáveis antivírus disponíveis no mercado.

Antivirus

A avaliação comportou uma simulação, em tempo real, e levou em conta a capacidade do software de bloquear URL maliciosos e arquivos perigosos. Segundo a pesquisa, foram centenas deles abertos todos os dias e verificados pelos programas apenas nas suas configurações padrão.

No total, os especialistas realizaram 120 mil testes, sendo 2.360 maliciosos. Os seis melhores antivírus, todos eles pagos, foram os que menos detectaram falsos positivos e levaram para casa um selo Advanced.

Trend Micro Titanium Internet Security
A suíte de segurança da Trend bloqueou 2.354 do total de testes maliciosos realizados por conta própria. Por isso, ficou em primeiro lugar. Outras quatro ameaças exigiram que o utilizador tomasse alguma ação, enquanto apenas duas conseguiram comprometer a máquina.
Foram nove falsos positivos – aqueles alertas de ameaças que não eram ameaças verdadeiras – detetados, uma taxa de sucesso (99,8%). Na avaliação, os pesquisadores usaram a versão 2014 em agosto e a de 2015 a partir de setembro.

Kaspersky Internet Securtity
Antivírus que ocupou a primeira colocação em 2013, o programa da empresa russa perdeu uma posição por ter uma taxa de bloqueios de 99,4%. Das 2.360 ameaças, 2.346 foram impedidas de agir, sendo que apenas uma exigiu que a pessoa entrasse em ação e nenhum alerta de falso positivo foi exibido. Do total, 13 conseguiram passar pelo filtro, um número seis vezes maior do que o obtido pela solução da Trend. Os testes envolveram a versão 2015 do aplicativo.

AVIRA Internet Security
A suíte de proteção apresentou uma taxa de bloqueio de 99,4%, mas o que a coloca abaixo da solução das que ficaram melhores colocadas é um ponto a mais no total de vezes em que máquinas foram comprometidas por um malware. Foram 14, contra 13 da Kaspersky. A versão que participou deste teste foi a 14.0 do AVIRA. Ela deu quatro alertas de falsos positivos.

Bitdefender Internet Security
A Bitdefender teve exatamente o mesmo empenho que a AVIRA. Esta suíte teve a taxa de bloqueio de 99,4% também e em 14 das vezes as máquinas foram comprometidas por um malware. O modelo utilizado na pesquisa foi o 2015 do Bitdefender e nenhum falso positivo foi detectado.

ESET Smart Security
Uma das mais populares, a solução da ESET apresentou uma taxa de bloqueio de 98,6% na pesquisa. Com isso, ela fica com três falsos positivos durante a avaliação e 44 vezes em que uma ação do utilizador é exigida diante do malware.
Ela perde nas vezes em que a máquina é comprometida, sendo 32 no total. A versão 7.0 do Smart Security foi usada nos dois primeiros meses do teste e a 8.0 nos meses finais.

AVG Internet Security
O último da lista é a AVG Internet Security, com uma taxa de bloqueio de 97,5%. Não houve nenhuma deteção de falso positivo. Das 2.360 ameaças testadas, o programa evitou que 2.302 pudessem infectar a máquina e não exigiu que o utilizador se mexesse em nenhuma ocasião.
Contudo, quase 60 testes conseguiram comprometer o funcionamento do computador. Foi utilizada a versão 2014 nos dois primeiros meses de avaliação, e a 2015 da AVG no período seguinte.

Pelo menos duas vezes por ano, a empresa AV-Comparatives realiza estudos com os programas antivírus mais populares do mundo. O objetivo é colocar à prova a habilidade dessas aplicações para proteger o seu computador.

Depois de anos de pesquisa e reconhecimento, a empresa austríaca acabou se tornando referência no ramo e é extremamente respeitada.

Os dados da pesquisa são referentes ao último trimestre do ano.

*Jocelyn Auricchio é jornalista da B!T no Brasil


Clique para ler a bio do autor  Clique para fechar a bio do autor