Ramsomware Locky já não faz parte das 10 principais famílias de malware

e-RegulaçãoEmpresasNegóciosSegurançaVírus
0 0 Sem Comentários

Em dezembro de 2016, este ramsonware teve uma queda nos ataques perpetrados. A razão poderá ser mesmo as férias e festas de Natal.

O Índice mensal de ameaças da Check Point detetou a redução de ataques com ramsonware Locky no último mês do ano. Registaram-se menos 81% de ataques por semana. Este malware, que existe desde 2016 entrou no top de famílias de programas maliciosos em junho, sendo que foi o segundo mais utilizados durante o mês de novembro.

“O mais provável é que os cibercriminosos tenham tirado uns dias de férias no Natal – provavelmente para desfrutar dos lucros obtidos com as suas campanhas. O ransomware continuará a ser um perigo que deverá ser levado a sério ao longo de 2017” disse Nathan Shuchami, responsável de prevenção de ameaças da Check Point.

A diminuição dos ataques foi geral, a qualquer tipo de malware, em dezembro. Este ano a queda ficou nos 8%, já o ano passado, na mesma época a descida foi de 9%, sendo que em janeiro os números regressaram à normalidade.

O malware Locky espalha-se em campanhas massivas de spam e é usado para encriptar dados nos equipamentos. Para desencriptar estes dados são exigidos pagamentos.

“A descida massiva nos ataques do Locky durante dezembro faz parte de uma tendência mais ampla, em que as ofensivas de malware diminuíram 8% em comparação com os meses anteriores. Mas as empresas não devem ter ilusões quanto a esta queda nem relaxar a sua segurança” afirmou Schuchami.

Os dados do índice da Check Point são extraídos do Mapa Mundial de Ciberameaças ThreadCloud, que tem rastreamento em tempo real dos ataques de cibersegurança por todo o mundo.


Clique para ler a bio do autor  Clique para fechar a bio do autor