Quidgest cresce 36 por cento em 2013

EmpresasGestãoNegóciosResultadosSoftware

A Quidgest apresentou os resultados obtidos em 2013. A empresa portuguesa conseguiu obter um crescimento de 36 por cento, sendo que mais de metade da faturação da empresa provém dos mercados externos. A empresa fornecedora de soluções de software conseguiu terminar o ano anterior com resultados bastante positivos. Com 36 por cento de crescimento, a

A Quidgest apresentou os resultados obtidos em 2013. A empresa portuguesa conseguiu obter um crescimento de 36 por cento, sendo que mais de metade da faturação da empresa provém dos mercados externos.

Software

A empresa fornecedora de soluções de software conseguiu terminar o ano anterior com resultados bastante positivos. Com 36 por cento de crescimento, a Quidgest conseguiu obter estes resultados graças à forte aposta em mercados externos.

Ainda assim, a empresa conseguiu um crescimento de quatro por cento no mercado português. Este crescimento foi possível, devido à maior procura, por parte das organizações portuguesas, de soluções de software para a redução de custos.

O Senior Partner da Quisgest, João Paulo Carvalho, mostrou-se satisfeito com os resultados, sendo que estes foram possíveis de alcançar, devido à estratégia de internacionalização da empresa e da aposta feita em soluções feitas para cada cliente, atendendo assim às suas necessidades específicas.

É o caso da plataforma de geração automática Genio que permite criar soluções de gestão integradas e que já é utilizada por alguns parceiros da Quisgest. “Através da plataforma Genio, eliminamos as tarefas repetitivas, que não acrescentam valor ou que podem ser executadas por máquinas, e concentramo-nos no que permite ao nosso cliente reduzir custos, aumentar a produtividade, ser mais ágil e ter sucesso mais rapidamente, chegar a mais mercados e fornecer produtos e serviços de excelência”, explicou o responsável.

A empresa portuguesa conta com cerca de cem colaboradores, sendo que apenas 20 trabalham no estrangeiro.

Em relação ao futuro, a empresa pretende duplicar a faturação a cada dois anos. Em 2020 espera-se um crescimento em mais de 20 milhões de euros, sendo que 80 por cento da receita virá do exterior.

A aposta vai continuar a ser a internacionalização da empresa. De acordo com os dados facultados pela empresa, os mercados internacionais registaram um crescimento de novos clientes de 97 por cento, comparativamente a 2012.

Hong Kong e Macau são as cidades prioritárias onde a empresa se quer afirmar, mas existem mais. Indonésia, Malásia, Dubai, Caraíbas, Colômbia, EUA, Toronto, Quénia, Nova Zelândia e vários países do Norte da Europa são algumas das apostas para o futuro.

Até à data, a Quidgest já conta com empresas constituídas em Portugal, Alemanha, Macau, Timor-Leste e Moçambique, para além de parcerias no Reino Unido, em Angola, no Brasil, na Polónia, em Nicarágua e em El Salvador.

Em relação ao mercado português, João Paulo Carvalho disse que “ainda há muito para fazer”, tanto no setor público como no privado. Um dos exemplos referidos foi a segurança social, no qual o responsável acredita que é possível um melhoramento do sistema, se existir uma aposta na inovação do mesmo.


Clique para ler a bio do autor  Clique para fechar a bio do autor