As quatro principais novidades da Intel para o MWC

MobilidadeNegócios

A Internet das Coisas, as plataformas de conetividade LTE, os novos acordos com fabricantes e o seu chip Moorefiled, são os focos mobile principais da Intel este ano. O Mobile World Congress de Barcelona começou por trazer ao mercado as principais novidades do mercado mobile por parte das empresas tecnológicas. Uma delas foi a Intel,

cintillo-mwc2014

A Internet das Coisas, as plataformas de conetividade LTE, os novos acordos com fabricantes e o seu chip Moorefiled, são os focos mobile principais da Intel este ano.

renee james

O Mobile World Congress de Barcelona começou por trazer ao mercado as principais novidades do mercado mobile por parte das empresas tecnológicas. Uma delas foi a Intel, empresa que tem vindo a tentar marcar a sua posição num mercado mobile onde os modelos da sua rival ARM têm maior sucesso.

A Intel focou a sua participação no congresso de Barcelona nos seus novos processadores móveis, em plataformas LTE avançadas e em acordos com clientes, que são as novas iniciativas destinadas à transformação da infraestrutura das redes para a Internet das Coisas. Renee James, presidente da Intel Corporation, revelou o portfólio de ativos de computadores e de comunicações da empresa desde os dispositivos mais pequenos até às redes móveis, mais complexas. O portfólio de produtos está concebido para competir com o ecossistema móvel da atualidade e para enformar a próxima era da computação, a Internet das Coisas.

Os focos da Intel para este Mobile World Congress 2014 são:

1) O lançamento do Processador Intel Atom de 64-bit tetra-nucleado (anteriormente Merryfield), para smartphones e tablets, destinado a dispositivos móveis Android, com nome de código Moorefield. Segundo explicaram os porta-vozes da empresa, este chip é um reflexo da crescente adoção da plataforma LTE multimode Intel XMM 7160 e uma introdução da plataforma Intel XMM 7260 com características LTE avançadas e rendimento competitivos.

2) A Intel anunciou diversos acordos com duração de diversos anos com fabricantes de equipamentos como a Lenovo, a ASUS, a Dell e a Foxconn que têm como objetivo expandir a disponibilidade de tablets e de smartphones com processadores e plataformas de comunicação Intel Atom. James disse que a Intel está a redefinir a infraestrutura das redes para reduzir custos e para disponibilizar aos fornecedores de serviços uma distribuição melhorada de experiências aos clientes e novos serviços através da extração de valor de negócios de grandes quantidades de dados.

Por um lado, a Intel e a Lenovo anunciaram planos para introduzir, este ano, novos dispositivos móveis baseados em Intel e a empresa chinesa disse que planeia incorporar a conetividade LTE da Intel em alguns Ultrabook. A Asus anunciou que lançará este ano no mercado uma série completa de smartphones e tablets baseados em Intel. A empresa apresentou a sua linha de Smartphone ZenFone e o PadFone mini, ambos com processadores e plataformas de comunicação Intel e o Asus Fonepad 7 LTE (ME3762CL) com processador Intel Atom e conetividade LTE da empresa.

A Dell e a Intel estão a estender a sua colaboração de longa data para incluir a gama de tablets que se iniciou com a introdução da linha Dell Venue no outono do ano passado. Os produtos Dell baseados em Intel abarcarão soluções Android e Windows. Por fim, a Foxconn e a Intel estão a unir forças para impulsionar uma mais ampla oferta mundial de tablets Android acessíveis e de alta qualidade baseados em Intel.

3) A união com a McAfee Mobile Security que oferece funcionalidades completas e de forma gratuita para dispositivos móveis Android e iOS e extensões de gestão de mobile para a tecnologia Intel Device Protection, a qual pretende, como explica o comunicado oficial da empresa, “proteger de forma proativa os consumidores contra malware e permite aos clientes empresariais separar os dados pessoais dos profissionais nos dispositivos Android baseados em Intel. A Intel espera que os tablets equipados com Intel Device Protection Technology (DPT) comecem a ser distribuídos ainda este ano pelos principais fabricantes de equipamento, entre os quais a Dell.

4) Parcerias com a Alcatel-Lucent e a Cisco destinadas à transformação da infraestrutura das redes para a Internet das Coisas. De acordo com James, “o contínuo crescimento do ecossistema mobile depende da solução de difíceis desafios computacionais e do desbloqueio do potencial dos dados durante a ligação segura e fiável de milhares de milhões de dispositivos com tecnologias computacionais e comunicacionais de ponta”.


Clique para ler a bio do autor  Clique para fechar a bio do autor