ENTREVISTA DA SEMANA | Qlik quer facilitar visualização da informação corporativa

Negócios

As empresas nunca tiverem tanta informação como atualmente, diz José Maria Alonso, diretor-geral da Qlik Ibéria. E, na verdade, as decisões de negócio requerem ferramentas de análise fáceis de utilizar. “Definitivamente, as organizações estão conscientes do desafio que é analisar, filtrar e compreender toda a informação para transformá-la em conhecimento real, que possa ser utilizado em toda a organização e melhorar decisões”. E a Qlik, diz José Maria Alonso, pode ajudar.

Hoje, como se apresenta a Qlik ao mercado?

A Qlik é líder em Análise Visual de Dados. Fornecemos às organizações uma tecnologia intuitiva e fácil de utilizar para analisar e interpretar toda a informação corporativa através da análise visual. A nossa tecnologia transforma dados em gráficos visuais e dinâmicos, que dão significado a toda a informação proveniente das mais variadas fontes. Os utilizadores podem identificar relações escondidas nos dados o que, por sua vez, gera insights que originam grandes ideias. As nossas soluções melhoram o processo da tomada de decisão ao revelar aspetos que, de outra forma, permaneceriam escondidos.

Atualmente, que área da empresa mais contribui para o volume de negócios?

A Qlik tem escritórios espalhados por todo o mundo, com equipas que vendem os nossos produtos diretamente nos mercados locais. Para além disso, a Qlik tem a mais extensa rede de parceiros da indústria, com mais de 1700 parceiros que fornecem milhares de clientes em mais de 100 países. Esta rede ajuda-nos a adaptar a nossa tecnologia às necessidades específicas dos clientes, o que significa melhores soluções e mais eficiência. É graças aos nossos parceiros que conseguimos reduzir custos e melhorar a satisfação dos clientes.

Quanto ao produto em si, vendemos duas grandes soluções. O QlikView é a nossa plataforma líder em Business Intelligence (BI), baseada em Guided Analytics. Os utilizadores de TI desenvolvem e criam dashboards interativos para utilização de outros dentro dos seus processos operacionais diários. Os utilizadores podem pesquisar e filtrar informação de forma estruturada e usar as opções de navegação predefinidas para alternar entre diferentes layouts para apoiar uma melhor tomada de decisão.

A outra solução é um produto mais recente chamado Qlik Sense, a nossa aplicação de visualização de dados self-service de última geração. O Qlik Sense é fácil de utilizar e não requer programação. Qualquer utilizador pode criar e explorar os seus próprios dashboards, utilizando apenas a intuição. A Análise Visual de Dados torna-se mais flexível, simples e interativa do que nunca.

Um dos fatores-chave do Qlik Sense é a sua natureza de colaboração e mobilidade. Por exemplo, num minuto os utilizadores podem criar uma apresentação e levá-la para uma reunião ou enviá-la para outros utilizadores. As visualizações podem ser verificadas a qualquer momento e em qualquer lugar, perfeitamente adaptadas a smartphones ou tablets.

Aproximadamente 38 mil clientes espalhados pelo mundo confiam nas nossas diferentes soluções.

De alguma forma a estrutura ibérica difere das restantes casas europeias ou basicamente está no mesmo alinhamento em termos de oferta e negócio?

A Qlik tem mais de 50 escritórios em mais de 25 países, incluindo Portugal, Espanha, França, Alemanha, Reino Unido ou Japão. Grande parte da nossa oferta é muito semelhante e trabalhamos alinhados com qualquer inovação proveniente das equipas globais para implementá-la localmente. Claro que tentamos corresponder às necessidades dos clientes, adaptando o nosso portefólio às especificidades locais.

Enquanto Qlik Ibéria, fazemos a cobertura do mercado português e espanhol, mas dispomos de equipas em Lisboa para providenciar um serviço próximo dos nossos clientes em Portugal.

As empresas ibéricas já têm noção do valor dos seus dados? Já os consideram o seu maior ativo?

As empresas nunca tiverem tanta informação como atualmente. As decisões de negócio requerem ferramentas de análise fáceis de utilizar. Definitivamente, as organizações estão conscientes do desafio que é analisar, filtrar e compreender toda a informação para transformá-la em conhecimento real, que possa ser utilizado em toda a organização e melhorar decisões.

As empresas ibéricas também compreendem que precisam de sustentar as suas decisões com tecnologia que ajude a entender o seu próprio negócio e mercado. Esta tendência está em crescimento não apenas na Península Ibérica, mas no mundo inteiro. O mercado de BI está a crescer, mais concretamente na área de Análise Visual de Dados. A Qlik é a prova desta tendência e procura crescente, com os nossos resultados financeiros a crescerem todos os anos.

São as pessoas que tomam as decisões

Já investem em Big Data? Se sim, de que forma?

O conhecimento resulta de uma verdadeira compreensão dos dados. Por isso, as empresas estão conscientes da necessidade de realizar análises a todos os seus dados, provenientes de qualquer fonte, como documentos Excel, ERP, cloud, internos ou externos…

Através da tecnologia da Qlik, os nossos clientes conseguem facilmente gerir e compreender toda a sua informação, sem limitações do seu modelo de dados. Os utilizadores podem interagir com aplicações, dashboards e análises interativas, até a partir de dispositivos móveis. Os utilizadores da Qlik conseguem ver a história completa existente nos seus dados, trazendo insights desde perspetivas gerais a áreas específicas na empresa.

Não podemos esquecer que os dados são apenas uma fonte, um ativo que leva a tomadas de decisão. São as pessoas que tomam as decisões. Temos de dar poder a essas pessoas através de uma analítica simples e de fácil utilização para realmente as ajudarmos a tirar partido do Big Data.

De que forma difere a abordagem ao Big Data das empresas portuguesas e espanholas, ou basicamente é a mesma abordagem?

Não identificamos muitas diferenças entre empresas espanholas e portuguesas no que diz respeito ao Big Data.

Atualmente, o Big Data é o grande tópico em ambos os países. De momento, as empresas ibéricas precisam de ajuda no aproveitamento de toda a informação de que dispõem. Enfrentam a tarefa de assumir a Análise Visual de Dados como parte do processo de tomada de decisão. Têm de transformar o Big Data em algo natural para qualquer utilizador aceder à sua informação e fazer análises, quando e onde precisem. É aqui que os ajudamos com a plataforma da Qlik.

Big Data progride nas empresas

De que forma tem evoluído o Big Data nas empresas nos últimos dois anos?

As organizações estão a fazer grandes progressos no uso da tecnologia para analisar de dados. Conduzidas pelo processo da Transformação Digital, o uso do Big Data está a evoluir da publicidade para o real. Mais organizações começam a aplicar algumas das práticas de análise de dados de longa data a fontes de dados que costumam estar fora dá área do Business Intelligence.

Como disse na questão anterior, na Península Ibérica sentimos que os nossos clientes fazem esforços para evoluir para um cenário mais rico e complexo a partir de várias fontes, permitindo casos de utilização de dados práticos e variáveis. Afinal, o valor máximo de decisão está nas ligações provenientes, por exemplo, da fusão de dados do BI tradicional, transações financeiras e Big Data. Felizmente, damos às empresas a tecnologia necessária para que alcancem esta tarefa.

Já há uma efetiva retoma do investimento em TI ou ainda vemos por parte das empresas um certo adiamento desse investimento?

Normalmente, os nossos clientes obtêm o retorno do seu investimento alguns meses após a implementação da nossa plataforma. Por exemplo, as empresas reduzem o tempo em reporting, aumentam a produtividade, identificam projetos rentáveis ou otimizam a logística e processos. Temos casos de clientes que relatam um aumento de 10% na produtividade de serviço ao cliente em apenas alguns meses.

Primeiro semestre foi satisfatório

O primeiro semestre vai estar dentro do esperado ou de alguma forma houve surpresas?

O nosso primeiro trimestre em 2016 foi bastante satisfatório. Globalmente, no primeiro trimestre alcançámos um total das receitas de 138 milhões de dólares, o que representa um aumento de 15% a cada ano, e 18% em câmbio constante.

Ainda não podemos adiantar os resultados para o primeiro semestre, mas esperamos manter o bom desempenho que temos tido até agora.

Quais os grandes objetivos para 2016 e como preveem que o negócio evolua até ao final do ano?

Para o ano completo de 2016, esperamos atingir um total de receitas entre os 704 e os 714 milhões de dólares. Estamos posicionados como líderes no Quadrante Mágico da Gartner para BI e Plataformas de Análise Visual de Dados pelo 5º ano consecutivo. O estudo da BARC (Business Application Research Center) classifica a Qlik no 1º lugar em 15 categorias, como benefícios de negócio, desempenho, satisfação de produto e satisfação do cliente.

Um dos nossos objetivos em 2016 é manter a liderança no mercado de Análise Visual de Dados. Iremos continuar a trazer software inovador para o mercado, que simplifique a forma como as pessoas exploram os dados e tomam melhores decisões.


Clique para ler a bio do autor  Clique para fechar a bio do autor