Psiengine distinguida no Brasil com participação em evento tecnológico

EmpresasNegócios

A subsidiária brasileira da Psiegine acabou de ser escolhida para participar na 25ª edição do Ciab FEBRABAN, um dos maiores eventos tecnológicos na América Latina. A distinção da spin off da empresa portuguesa deveu-se à plataforma Sharpblocks. A Psiengine Brasil, responsável pelas operações comerciais e implementação de projetos da empresa portuguesa no país latino-americano, foi selecionada

A subsidiária brasileira da Psiegine acabou de ser escolhida para participar na 25ª edição do Ciab FEBRABAN, um dos maiores eventos tecnológicos na América Latina. A distinção da spin off da empresa portuguesa deveu-se à plataforma Sharpblocks.

psiengine ricardo ramião

A Psiengine Brasil, responsável pelas operações comerciais e implementação de projetos da empresa portuguesa no país latino-americano, foi selecionada para integrar o Espaço Inovação da 25ª edição do evento Ciab FEBRARAN, dedicado aos setores financeiros, da banca e dos seguros.

O bilhete de entrada da empresa foi a sua plataforma Sharpblocks, para o desenvolvimento de aplicações web e móveis através de utilização de um único código-base, o que permite aumentar a escalabilidade e a produtividade das equipas de programação, dispensado a utilização de diversas plataformas de desenvolvimento.

O diretor-geral da Psiengine, Ricardo Ramião, que assumiu as funções no passado mês de abril, diz que a escolha da empresa para participar num evento como o Ciab FEBRARAN surge como o reconhecimento dos investimentos que têm vindo a ser feitos no mercado brasileiro. “Certamente isto permitirá a todo o grupo Psiengine crescer neste mercado, com especial foco no nosso core business: o mercado segurador”, acrescenta o executivo.

O evento decorrerá entre 16 e 18 de junho, em São Paulo, e a edição deste ano deverá ser pautada pela presença de mais de 15 mil visitantes e oradores.

A Psiengine tem atualmente operações em Portugal, no Brasil, na Colômbia e em Espanha, incidindo fortemente sobre o mercado segurador.

A empresa disse à B!T que o mercado brasileiro representa agora cerca de um décimo da totalidade da sua faturação. “A estratégia é chegar a um volume de faturação que justifique ter parte da operação de desenvolvimento no local, num acrescento à equipa comercial e de acompanhamento de projetos que já lá temos sediada”, explicaram fontes oficiais.


Clique para ler a bio do autor  Clique para fechar a bio do autor