Projeto quer reutilizar componentes modulares de smartphones

Mobilidade

Depois do desenvolvimento dos smartphones modulares, a Circular Devices surge com um projeto que pretende reutilizar os componentes desatualizados ou que já não sejam necessários, para construir computadores. O projeto PuzzleCluster nasce da necessidade de reciclar componentes que já tenham, teoricamente, terminado o seu ciclo de vida. Isto porque, segundo uma publicação no site da

Depois do desenvolvimento dos smartphones modulares, a Circular Devices surge com um projeto que pretende reutilizar os componentes desatualizados ou que já não sejam necessários, para construir computadores.

green_tech_850

O projeto PuzzleCluster nasce da necessidade de reciclar componentes que já tenham, teoricamente, terminado o seu ciclo de vida. Isto porque, segundo uma publicação no site da empresa, “there is life even afterlife”, ou seja, existe vida mesmo depois da vida ter terminado, o que deve atrasar a desatualização do produto.

Para isso, partem do PuzzlePhone, um projeto de smartphones modulares, semelhante ao da Google, desenvolvido também pela Circular Devices. O objetivo passa por reaproveitar as peças do dispositivo que o utilizador pretende descartar, através da substituição do módulo conhecido como Brain e que consiste essencialmente no CPU.

Na publicação, o PuzzleCluster é descrito como “o primeiro computador escalável” baseado em “tecnologia móvel modular reciclada”. O projeto está a ser desenvolvido a pensar em todo o tipo de utilizadores, desde os consumidores a empresas de pequenas e médias dimensões ou instituições públicas e data centers.

Inicialmente, o projeto incluirá uma fonte de energia, um ponto interno de conectividade para os diferentes módulos do PuzzlePhone, componentes periféricos e conectividade externa. A empresa finlandesa Circular Devices explica que “não faz sentido descartar um computador em bom estado só porque o smartphone é atualizado”.
Se estes projetos forem concretizados, o modo como os smartphones e computadores são criados e utilizados deverá alterar-se, prolongando o tempo de vida e reduzindo o desperdício tecnológico.


Clique para ler a bio do autor  Clique para fechar a bio do autor