Projeto português de segurança lança-se no crowdfunding

EmpresasNegócios

O portal de segurança online português para crianças miudossegurosna.net acaba de lançar uma campanha de crowdfunding na plataforma Massivmov. O objetivo é financiar ações de sensibilização e formação sobre o tema no nosso país. Esta iniciativa portuguesa lançou-se assim na recolha online de fundos na comunidade e o projeto vai estar em crowdfunding durante dois

O portal de segurança online português para crianças miudossegurosna.net acaba de lançar uma campanha de crowdfunding na plataforma Massivmov. O objetivo é financiar ações de sensibilização e formação sobre o tema no nosso país.

security

Esta iniciativa portuguesa lançou-se assim na recolha online de fundos na comunidade e o projeto vai estar em crowdfunding durante dois meses. Este projeto é hoje uma das iniciativas no domínio da segurança online de crianças e jovens de maior alcance a nível Europeu.

Considerados projetos de outras entidades com iniciativas neste domínio, tais como as maiores organizações Europeias de proteção e promoção dos direitos da criança, o Projeto MiudosSegurosNa.Net surge, ainda assim, em oitavo lugar.

O portal surgiu em 2003 e atualmente já está no top dez dos mais falados a nível europeu. Criado por Tito de Morais, na altura desempregado, o estudo teve em conta a presença no Facebook de 160 projetos dedicados à segurança online de crianças e jovens, provenientes de 34 países da Europa.

“Considerados projetos de outras entidades com iniciativas neste domínio, tais como as maiores organizações europeias de proteção e promoção dos direitos da criança, o projeto miudossegurosna.net surge em oitavo lugar”, afirma Tito de Morais.

De acordo com dados da análise da presença no Facebook de 160 projetos dedicados à segurança online de crianças e jovens europeus, este “é ainda o 5º projeto mais falado”. A diferença é que estes projetos são financiados pela Comissão Europeia, governos, empresas e ONG.

O segmento recebeu um investimento de 140 milhões de euros, desde 1999, na União Europeia. Tito de Morais afirma em comunicado que “42 por cento dos jovens portugueses entre os nove e os 16 anos não tiveram qualquer aconselhamento sobre segurança na Internet e 65 por cento dos pais gostariam de receber informações e aconselhamento da escola dos seus filhos, mas só 28 por cento o tiveram efetivamente”.

“Numa época caracterizada por cortes orçamentais, o interesse não tem diminuído, mas os recursos disponíveis são cada vez menores, sobretudo atendendo à falta de interesse revelado pelos potenciais patrocinadores que temos abordado”, explica o criador do portal. “Daí que o crowdfunding surja como uma alternativa”, acrescenta.

A iniciativa de crowdfunding do projeto vai estar disponível durante dois meses.

 


Clique para ler a bio do autor  Clique para fechar a bio do autor