Portugueses gastaram milhões em reparações e substituições de smartphones

Mobilidade

Os portugueses gastaram, nos últimos sete anos, 440,9 milhões de euros em reparações e substituições de smartphones. Esta é uma das conclusões reveladas no mais completo estudo europeu sobre acidentes com smartphones, desenvolvido pela Square Trade, empresa norte-americana líder mundial em planos de proteção de equipamentos tecnológicos. O estudo europeu releva ainda que 28% dos

Os portugueses gastaram, nos últimos sete anos, 440,9 milhões de euros em reparações e substituições de smartphones. Esta é uma das conclusões reveladas no mais completo estudo europeu sobre acidentes com smartphones, desenvolvido pela Square Trade, empresa norte-americana líder mundial em planos de proteção de equipamentos tecnológicos.

iphone

O estudo europeu releva ainda que 28% dos portugueses estragaram o seu telefone nos últimos dois anos e que neste momento quatro em cada cem proprietários de smartphones estão a usar um aparelho com o ecrã partido. Os donos de animais têm uma maior probabilidade de estragar o telefone (81%).

Este estudo foi realizado em agosto deste ano em vários países europeus, incluindo Portugal, e do qual se retiraram outras conclusões sobre os acidentes ou avarias dos equipamentos mobile dos portugueses.

Quanto às estatísticas de danos, nove por cento dos proprietários de smartphones deixaram cair o seu na casa de banho, oito porcento em cima do carro e arrancaram e sete por cento danificaram-no enquanto viam um jogo. Já no que diz respeito aos detalhes dos acidentes 51% dos acidentes com smartphones acontecem em casa, sendo que 20% dos acidentes foram causados por outra pessoa sem ser o proprietário do mesmo. Quanto à água representa 78% dos acidentes com líquidos, que ocupam 16% dos acidentes no que diz respeito ao smartphones.

A probabilidade de ter um acidente com um smartphone aumenta se tiver menos de 45 anos, chegando 150% e no caso de ser homem, o grau de imprudência aumenta, uma vez que 43% tem mais probabilidades de o danificar

Segundo o Managing Director Europe da Square Trade, Kevin Gillan, “Os dados deste estudo permitem-nos não só ter uma ideia do valor gasto global dos portugueses na reparação dos seus telefones, como prever e antecipar os inesperados acidentes com telefones móveis. Não deixa de ser interessante saber que um em cada três portugueses teve um problema nos últimos dois anos e quatro em cada cem têm neste momento o vidro danificado”.

Para o mesmo responsável, a explicação para tantas reparações deve-se ao facto de “Cada vez mais os aparelhos concorrem entre si para serem mais finos e leves, tornando-se mais expostos e menos robustos a determinados e inesperados acontecimentos. Quando compramos os telefones, especialmente através de planos mensais, muitas vezes não temos a noção de grande custo que são, depois de adquiridos. Tipicamente só percebemos quando temos um problema”.


Clique para ler a bio do autor  Clique para fechar a bio do autor