Portugueses criam portal e-commerce para artesanato tecnológico de São Tomé

e-Commercee-Marketing

Pens USB e carros telecomandados feitos por artesãos de São Tomé e Príncipe vão ser vendidos num novo portal de e-Commerce desenvolvido por criativos portugueses. É um projeto da agência criativa Torke+CC e do Camões – Instituto de Cooperação e Língua Portuguesa.

O portal de e-commerce chama-se Hi! – Handcrafted Innovation e o principal intuito é ligar o artesanato local de São Tomé e Príncipe com a tecnologia dos países desenvolvidos. Os promotores chamam-lhe “empreendedorismo social.” Para os artesão locais, significa a possibilidade de receber em quatro dias de trabalho o equivalente ao salário mínimo local, cerca de 45 euros. É o que explica o fundador da Torke+CC, Pedro Alegria.

“A Hi! está a criar uma bolsa monetária cujo valor é reinvestido na oficina de cada artesão e na formação de mais artesãos”, adianta o responsável da agência criativa. A rede tem neste momento 30 artesãos santomenses, que criam as pens USB e os carros telecomandados à mão nas suas oficinas, recorrendo a materiais tradicionais. É o caso da madeira de cedrela, o coqueiro, o coco e o chifre de boi. Depois, os produtos são comercializados para todo o mundo através da plataforma de e-commerce. As pens custam 19 euros, mais portes de envio, e os carros – chamados “woodies” ainda não estão disponíveis para compra.

“Através da construção de pontes entre dois mundos tão díspares, a missão da Hi! passa por ganhar impacto na economia local e simultaneamente promover São Tomé e Príncipe, internacionalmente”, sublinha Pedro Alegria. O portal está em fase de pré-lançamento e já vendeu 100 pens USB à empresa norte-americana BARE International e 50 à Companhia Santomense de Telecomunicações (CST).O executivo sublinha que a equipa está agora focada em estabelecer protocolos com redes de distribuição internacionais, para alcançar mais mercados e alargar as oportunidades de venda destes produtos.

A Hi! tem também o apoio da Direção de Turismo do governo de São Tomé e Príncipe, o segundo menor país da África (190 mil habitantes), mas que pretende tornar-se no primeiro país africano que “acrescenta valor à tecnologia.”

Mais informações sobre o projeto e a equipa por detrás dele estão disponíveis no site.


Clique para ler a bio do autor  Clique para fechar a bio do autor