Portugal tem um posto de ciberespionagem da NSA

EmpresasNegócios

A Agência Nacional de Segurança dos Estados Unidos disseminou malware por mais de 50 mil redes informáticas do mundo. Uma fuga de informação revela que a NSA tem um posto de ciberespionagem sedeado em Portugal. A agência de espionagem norte-americana tem instalado em Portugal um ponto de acesso que poderá ser utilizado para controlar a

A Agência Nacional de Segurança dos Estados Unidos disseminou malware por mais de 50 mil redes informáticas do mundo. Uma fuga de informação revela que a NSA tem um posto de ciberespionagem sedeado em Portugal.

384644A agência de espionagem norte-americana tem instalado em Portugal um ponto de acesso que poderá ser utilizado para controlar a informação obtida a partir de mais de 54 mil redes informáticas infetadas com malware.

Num slide classificado como documento de trabalho da NSA, é possível confirmar que a empresa utiliza um posto de ciberespionagem situado no sudoeste de Portugal, em articulação com postos de acesso  dispersos pelo mundo, muitos deles infetados por malware que tem por objetivo garantir o desvio de informação considerada sensível.

O slide, que foi tornado público depois de mais uma fuga de informação de Edward Snowden, ex-operacional da NSA, revela cinco níveis de pontos de acesso usados pela Worldwide SIGINT/Defense Cryptologic Platform. O primeiro diz respeito a pontos de ligação a países aliados, o segundo abarca os pontos de acesso regionais, o terceiro com o acrónimo de CNE (Computer Network Explotation) comporta mais de 54 mil pontos criados por “implantes”, o quarto engloba 20 acessos de principais, que está relacionado com grandes cabos de telecomunicações e o quinto nível congrega os pontos de controlo do programa de espionagem Fornsat.

Edward Snowden revela ainda que os serviços secretos nem sempre atuam sozinhos, recorrendo muitas vezes à ajuda de mais quatro países anglófonos para formar uma aliança oficiosa que é conhecida nos bastidores como Five Eyes.

Os serviços secretos do Reino Unido, Canadá, Austrália e Nova Zelândia são os estados que costumam apoiar a NSA em diversas operações.

A mais recente fuga de informação revela ainda que os ataques às redes informáticas são levados a cabo pela unidade da NSA conhecida por Tailored Access Operations, que emprega mais de mil hackers.


Clique para ler a bio do autor  Clique para fechar a bio do autor