Portugal é o país da Europa que menos compra online

e-Commercee-Marketing

A Eurobarómetro realizou uma sondagem que conclui que os portugueses são os que menos compram na Internet em todo o continente europeu. O principal motivo é a preferência pela transação pessoal. A sondagem levada a cabo pelo Eurobarómetro revela que os portugueses são os europeus que menos compram bens ou serviços online por preferirem a transação pessoal,

A Eurobarómetro realizou uma sondagem que conclui que os portugueses são os que menos compram na Internet em todo o continente europeu. O principal motivo é a preferência pela transação pessoal.

ecommerceA sondagem levada a cabo pelo Eurobarómetro revela que os portugueses são os europeus que menos compram bens ou serviços online por preferirem a transação pessoal, e não tanto por questões de segurança.

De acordo com este estudo da Comissão Europeia, Portugal regista o valor mais baixo entre os 28 Estados-membros da UE, pois só 15 por cento dos portugueses inquiridos compram bens ou serviços online.

Apesar da questão da segurança também ser apontada, esta não é a principal razão dada pelos portugueses para não comprarem online. O principal motivo é a preferência pela transação pessoal. Esta explicação foi dada por 49 por cento dos portugueses, sendo que apenas 29 por cento dos inquiridos indicou como preocupação o receio de utilização abusiva dos dados pessoais.

Cerca de 55 por cento dos portugueses afirmam ter pouca confiança na sua própria capacidade para usar a Internet para realizar operações bancárias ou para efetuar compras online. Este valor está muito acima da média da União Europeia, que é de 28 por cento.

Em contrapartida, os portugueses são os que mais acedem às redes sociais, com 67 por cento, valor que é apenas superado pela Suécia, com 69 por cento, e pela Letónia, com 71 por cento. A ligação às redes sociais surge no segundo lugar das atividades que os portugueses mais efetuam na Internet, situando-se apenas atrás da utilização do correio eletrónico.

O estudo foi realizado entre maio e junho deste ano, sendo inquiridos um total de 1007 portugueses.


Clique para ler a bio do autor  Clique para fechar a bio do autor