Portal Rio 2016 supera Londres em acessos por dispositivos móveis

MobilidadeProjetos
0 6 Sem Comentários

A Microsoft, responsável pelo desenvolvimento do portal oficial dos Jogos Rio 2016, informa que de 2 a 10 de agosto, a versão mobile do site concentrou 56% dos acessos, com pico de 73% durante a Cerimónia de Abertura. Esse índice já ultrapassa o recorde da última Olimpíada de Londres, que registou um total de 40% de visitas via dispositivos móveis.

O portal é uma solução apoiada na plataforma em nuvem Azure, da Microsoft, integrada à tecnologia desenvolvida e gerenciada pela Atos, parceira mundial de TI dos Jogos Olímpicos.

De acordo com a Microsoft, para o portal da Rio 2016 foi criada uma arquitetura inteligente que permite o reconhecimento automático do modelo de tela mais adequado para obter a melhor experiência de navegação e interação para cada dispositivo. O pico de audiência foi na tarde da última segunda-feira (8/8), quando ocorriam competições em 22 desportos ao mesmo tempo, com mais de 33 milhões de pageviews.

Os desportos mais pesquisados no site nesta primeira semana foram futebol, tênis, ginástica artística e natação. Além dos brasileiros, os visitantes dos Estados Unidos e do Reino Unido foram os mais assíduos.

Outra inovação promovida pela Rio 2016 é definição de uma estratégia de segundo ecrã, em parceria com a Microsoft, no sistema de notícias do portal, fundamental para que os visitantes possam aceder com mais agilidade as informações de interesse, já que a página principal é flexível e se adapta a cada evento dos Jogos (como a abertura, competições e encerramento).

Durante a cerimónia de abertura, enquanto os atletas desfilavam, o segundo ecrã foi a mais procurado porque fornecia dados atualizados sobre os desportistas com apenas um clique.

Velocidade como diferenciadora

De modo geral, a velocidade para disponibilizar as informações em tempo real em quatro idiomas (português, inglês, espanhol e francês) é mais um diferenciador tecnológico do portal, que oferece os resultados de cada prova sem latência e diretamente dos sensores Omega das arenas.

Com a plataforma em nuvem Microsoft Azure integrada com a tecnologia da Atos, e um altíssimo volume de dados geridos e processados em data centers localizados em três continentes, é possível publicar pontuações e recordes batidos, por exemplo, muito mais rapidamente e com a segurança exigida por este que é o maior evento desportivo em audiência do mundo.

 


Clique para ler a bio do autor  Clique para fechar a bio do autor