Polycom regista faturação de 332 milhões de dólares

NegóciosOperadoresRedes

A empresa que cria soluções integradas de vídeo, voz e dados anunciou uma significativa evolução na sua performance operacional com uma faturação de 332 milhões de dólares no segundo trimestre de 2014, período em que gerou um total de 62 milhões de dólares em fluxo de caixa operacional. A Polycom continua a perseguir o objetivo

A empresa que cria soluções integradas de vídeo, voz e dados anunciou uma significativa evolução na sua performance operacional com uma faturação de 332 milhões de dólares no segundo trimestre de 2014, período em que gerou um total de 62 milhões de dólares em fluxo de caixa operacional.

Polycom-OTX-Overall2_05_L01

A Polycom continua a perseguir o objetivo de aprimorar o desempenho operacional da companhia, tendo apresentado resultados no segundo trimestre de 2014 (calculado na base non-GAAP, que exclui algumas despesas) que representam um lucro líquido de 30 milhões de dólares e ganhos por ação diluída de 21 cêntimos de dólar. O lucro líquido GAAP no segundo trimestre foi de nove milhões, ou seis cêntimos de dólar por ação diluída.

A empresa também anunciou que o seu conselho de administração aprovou uma nova autorização de recompra de ações de 200 milhões de dólares, autorização essa que espera executar ao longo dos próximos dois anos financiando as recompras de ações por meio de dinheiro em caixa e futuros fluxos de caixa das operações.

O fluxo de caixa operacional de 62 milhões de dólares neste segundo trimestre de 2014 leva o valor dos últimos 12 meses aos 167 milhões. O caixa e os investimentos no final deste trimestre totalizaram 640 milhões, dos quais cerca de 234 milhões estão localizados dentro da companhia. O valor líquido de débitos existentes, caixa e investimentos no final do período ascende a 395 milhões.

Estes resultados deixam a Diretora Financeira e Vice-Presidente Executiva satisfeita. “A margem operacional melhorou tanto na avaliação a partir de uma base sequencial, como ano a ano, o que é resultado de uma evolução na margem bruta total e de um rígido controlo de despesas”, afirma Laura Durr. A ececutiva da Polycom anunciou ainda “um aumento de 40% ano a ano no lucro por ação na base non-GAAP, impulsionado por uma menor contagem de ação e um melhor desempenho operacional”.


Clique para ler a bio do autor  Clique para fechar a bio do autor