Politécnico de Leiria debate como “fabricar” o futuro

Inovação

O Centro para o Desenvolvimento Rápido e Sustentado de Produto (CDRsp) do Politécnico de Leiria dinamiza, de 14 a 17 de dezembro, a RESIM2016 – International Conference on Advanced Research in Sustainable and Intelligent Manufacturing (Conferência Internacional em Pesquisa Avançada em Fabricação Inteligente e Sustentável).

Reunindo cerca de 80 investigadores de todo o mundo das áreas da engenharia biomédica, fabricação inteligente, mudanças climáticas e sustentabilidade, manufatura aplicada à segurança, à alimentação e à bioeconomia, o encontro pretende, segundo a própria organização, ser o maior fórum de excelência de troca de saberes e experiências multidisciplinares no âmbito da fabricação inteligente e sustentável, para o desenvolvimento de soluções pioneiras que resolvam os desafios da Sociedade.

Nuno Alves, diretor do CDRsp, explica em comunicado que “continuar a investir em criar know-how na fabricação inteligente e sustentável é projetar um futuro melhor, e vamos ter aqui investigadores totalmente comprometidos no desenvolvimento de soluções inovadoras e amigas do ambiente, que permitem resolver os problemas da nossa sociedade, e que contribuem para tornar a nossa vida mais agradável e sustentável. No fundo, soluções que respondam a todos os anseios e necessidades do amanhã. Neste aspeto, o CDRsp ocupa uma posição privilegiada, nacional e internacionalmente, por fabricar de raiz os equipamentos de impressão digital direta e fabricação inteligente necessários à criação destas soluções, desde a criação de materiais à impressão de tecidos para aplicações biomédicas”

A organização destaca, amanhã, quarta-feira, o  orador Edward F. Leonard, professor na Universidade de Columbia (NY, EUA), investigador na área da engenharia biomédica e medicina regenerativa, e diretor do Laboratório de Investigação em Órgãos Artificiais da universidade, que tem vindo a debruçar-se sobre as o desenvolvimento de órgãos artificias “tradicionais” (rins, fígado, pulmões, implantes cardiovasculares), com especial foco no rim artificial para a medicina regenerativa, especialmente no desenvolvimento de métodos para introdução de células estaminais em tecido renal “adulto”.

A RESIM é organizada pelo CDRsp a cada dois anos e tem o propósito de ser um dos mais importantes fóruns internacionais que promove a discussão científica de temas multidisciplinares e intersetoriais relacionados com a sustentabilidade e a fabricação inteligente.


Clique para ler a bio do autor  Clique para fechar a bio do autor