PME não fazem parte da decisão empresarial e política

EmpregoEmpresasGestãoLegislaçãoNegócios

O CEO da Sage, Stephen Kelly, afirma que as pequenas e médias empresas não são tidas em atenção pelas classes políticas e empresariais.

Presente no Fórum de Davos (World Economic Forum ), na Suíça, estão presentes os donos das maiores empresas do mundo, no entanto Stephen Kelly, notou que as PME não entram na discussão.

“As pequenas e médias empresas são muito frequentemente excluídas dos debates entre políticos e líderes de opinião sobre o panorama económico internacional. Esta situação confirma-se com o World Economic Forum em Davos, onde trabalhadores independentes e PME nem fazem parte do leque de temas a abordar. Ainda mais estranho é pensar que cerca de 60% destes empresários nem tinha conhecimento do evento, quando são estes que criam dois terços do emprego em quase todas as economias e representam 98% do tecido empresarial” disse o CEO.

Estes dados que apresenta são de um estudo global, levado a cabo pela Sage. No estudo 54% das PME portuguesas consideram não fazer parte das decisões de política nacional.

Estas empresas, “responsáveis pela criação de dois terços do emprego na grande maioria das economias mundiais” segundo o comunicado da Sage apresentar propostas para o apoio por parte do governo. As soluções passam pela “Melhoria do modelo de tributação’ (57,3%), no ‘Apoio aos negócios através de, por exemplo, ajudas à exportação, subvenções, etc.’ (49,1%) e no ‘Financiamento de iniciativas de I&D’ (42,7%).”

Como resultado do estudo, a Sage lançou o ‘Forum for Business Builders’, que irá reunir os pequenos empresários em discussões de partilha de opiniões e experiências empresariais. Pretendem que o fórum se torne a voz das PME.

“Os pequenos negócios representam uma percentagem elevada do tecido empresarial português, são os verdadeiros criadores de emprego e os responsáveis pelo crescimento das economias. Através do ‘Forum for Business Builders’ asseguramo-nos que as preocupações fundamentais dos mesmos são ouvidas, debatidas e resolvidas.” reafirma Luis Pardo, EVP da Sage Iberia


Clique para ler a bio do autor  Clique para fechar a bio do autor