PJ alerta para telefonemas falsos da Microsoft

Segurança

Estão a ser realizados telefonemas, em Portugal, que estão a ser motivo de alerta para a Polícia Judiciária. Supostos funcionários da Microsoft incitam as potenciais vítimas a descarregar malwares que poderão resultar no roubo de informações privadas. A Polícia Judiciária está a alertar para a ocorrência de telefonemas falsos que poderão pôr em risco os dados

Estão a ser realizados telefonemas, em Portugal, que estão a ser motivo de alerta para a Polícia Judiciária. Supostos funcionários da Microsoft incitam as potenciais vítimas a descarregar malwares que poderão resultar no roubo de informações privadas.

NSA

A Polícia Judiciária está a alertar para a ocorrência de telefonemas falsos que poderão pôr em risco os dados pessoais, como é o caso de informações bancárias, de quem for vítima desta fraude. Os telefonemas são realizados por falsos funcionários da Microsoft que se dirigem aos seus interlocutores em inglês e garantem estar a resolver problemas técnicos.

Em comunicado, a PJ explica que estes telefonemas são realizados de modo aleatório e “pretendem fazer crer aos destinatários, que um funcionário do departamento de segurança de informática da Microsoft, expressando-se em inglês, está a resolver problemas do seu computador pessoal”. Para que esses suspostos problemas sejam resolvidos, é sugerido que sejam instaladas atualizações do Windows que deverão ser pagas.

Caso esses falsos pacotes de suporte e assistência sejam, de facto, comprados, fica aberto o caminho para que os dados pessoais da vítima sejam roubados e depois utilizados para atividades maliciosas. Estas informações poderão ainda ser obtidas de outra forma já que o suposto funcionário da Microsoft poderá pedir detalhes dos cartões de crédito para que o tal software possa ser instalado.

A PJ explica que, através do acesso por controlo remoto, “os criminosos entram na posse de dados suficientes para concretizar transferências bancárias fraudulentas, em nome das vítimas, provocando danos que podem ascender a milhares de euros”.

As recomendações passam por evitar estes telefonemas, ao não dar resposta a este tipo de contactos e não “fornecer quaisquer tipos de dados pessoais”, caso verifiquem que a mensagem é comunicada em inglês e por alguém que menciona insistentemente o nome da empresa Microsoft.


Clique para ler a bio do autor  Clique para fechar a bio do autor