Panasonic prepara-se para investir na nova central da Tesla

Negócios

A Panasonic confirmou hoje que vai investir na central de produção de baterias da fabricante automóvel Tesla avaliada em cinco mil milhões de dólares que será construída nos Estados Unidos. Fornecendo já baterias à Tesla, a empresa japonesa disse que antes de decidir qual o montante do investimento que tem planeado, precisa de averiguar o

A Panasonic confirmou hoje que vai investir na central de produção de baterias da fabricante automóvel Tesla avaliada em cinco mil milhões de dólares que será construída nos Estados Unidos.

panasonic tesla

Fornecendo já baterias à Tesla, a empresa japonesa disse que antes de decidir qual o montante do investimento que tem planeado, precisa de averiguar o mercado, pois a procura é o fator condicionante da quantia.

“Precisamos [a Tesla] de observar cuidadosamente a procura no setor automóvel e responder apropriadamente, o que obviamente significa adotarmos uma estratégia de investimento ponderada”, avançou Hideaki Kawai, diretor financeiro da Panasonic.

Uma fonte próxima do assunto declarou ontem à Reuters que a tecnológica japonesa iria numa fase inicial avançar uma quantia entre os 200 e os 300 milhões de dólares, e que mais tarde desembolsaria cerca de mil milhões de dólares.

A procura pelas baterias da fabricante norte-americana de carros ecológicos de alta qualidade tem atuado como um elemento potenciador do crescimento da Panasonic, numa altura em que esta tenta expandir-se como fornecedora industrial, particularmente do setor automóvel, e mitigar a sua dependência em mercados de consumo voláteis.

De acordo com os termos do negócio, a Tesla ficará encarregue de preparar, fornecer e administrar o terreno, enquanto que a Panasonic terá em mãos a manufatura e fornecimento de células cilíndricas de ião lítio e o investimento em equipamento, maquinaria e outras ferramentas de produção.

A central, nas palavras do CEO da Tesla Elon Musk, deverá estar completamente operacional até 2020 e ser capaz de produzir num só ano tantas baterias como as manufaturadas em 2013.


Clique para ler a bio do autor  Clique para fechar a bio do autor