Organização Mundial do Comércio abole taxas comerciais sobre TI

e-RegulaçãoGestãoLegislaçãoNegócios

Os membros da Organização Mundial do Comércio (WTO), nos quais se inclui Portugal, assinaram hoje um acordo que reduzirá as taxas de circulação transfronteiriça sobre Tecnologias de Informação. O entendimento multilateral deverá poupar aos fabricantes destes países cerca de um milhão de milhões de dólares, em produtos que podem ir de telemóveis, a jogos de vídeo e equipamentos médicos.

Os Estados Unidos disseram esta manhã que tinha sido alcançado um consenso entre os vários países-membros da organização, mas a conferência de apresentação do acordo, que no início desta tarde ia dar a conhecer os termos do mesmo, foi desconvocada pelo diretor da WTO, Roberto Azevedo.

O porta-voz da WTO, Keith Rockwell, num email enviado à B!T, disse que o encontro das delegações envolvidas na expansão do Acordo tinha sido adiado, pelo que a divulgação das informações sobre o mesmo foi reagendada. Não foi avançada uma nova data para a apresentação das conclusões.

Este novo Acordo sobre Tecnologias de Informação (ITA) vem renovar um que vigorava desde há 18 anos, acrescentando mais de 200 novos itens à lista de produtos abrangidos pelas leis do comércio livre.

Na semana passada, Roberto Azevedo, segundo a agência noticiosa britânica, disse que a reformulação do ITA vai estimular o crescimento da economia global.

A B!T contactou o Gabinete de Planeamento, Estratégia, Avaliação e Relações Internacionais (GPEARI) mas, até ao momento, não obteve uma resposta. O GPEARI é uma instituição governamental subordinada ao Ministério das Finanças e que regula a atividade comercial.


Clique para ler a bio do autor  Clique para fechar a bio do autor