Oi cresceu em 2014 mas PT foi causa de algumas perdas

NegóciosOperadoresRedes

A Oi registou um aumento de 5,1 por cento das suas receitas no quarto trimestre de 2014, face ao período anterior. Em comunicado ao mercado, a Portugal Telecom avançou que o negócio da operadora brasileira cresceu em todos os seus aspetos, evidenciando uma recuperação. As receitas da Oi atingiram os 2,086 milhões de euros no

A Oi registou um aumento de 5,1 por cento das suas receitas no quarto trimestre de 2014, face ao período anterior. Em comunicado ao mercado, a Portugal Telecom avançou que o negócio da operadora brasileira cresceu em todos os seus aspetos, evidenciando uma recuperação.

OI

As receitas da Oi atingiram os 2,086 milhões de euros no último trimestre do ano passado. O mercado brasileiro foi o grande motor deste aumento, gerando cerca de 2,012 milhões, apesar das receitas das operações neste setor terem caído dois pontos percentuais comprando com o quarto trimestre de 2013.

O negócio residencial da empresa subiu 0,9 por cento, fruto do reforço das receitas de banda larga e de serviços de televisão paga. Também o seu braço empresarial cresceu, com o aumento dos gastos em serviços de dados corporativos e das receitas de soluções de mobilidade para empresas de pequenas e médias dimensões.

O EBITDA (lucros antes de juros, impostos, depreciações e amortizações) do quarto trimestre de 2014 chegou aos 523 mil euros, sendo que cerca de 481 mil foram gerados por operações brasileiras. Diz a PT, no comunicado, que este aumento denota uma mudança face ao terceiro trimestre do mesmo ano e coloca a Oi no caminho para uma recuperação.

O fluxo de lucros operacionais atingiu os 207,4 milhões de euros, o que se encontra em conformidade com os planos da empresa de telecomunicações brasileira para potenciar a eficiência operacional, reduzir despesas e otimizar a retenção de capital.

Por seu lado, os lucros líquidos ficaram-se pelos 2,279 milhões de euros. O documento refere que a descontinuação da PT Portugal originou perdas estimadas de 1,186 milhões de euros, parte do qual deverá ser reavido no futuro. Consta que aproximadamente 435,9 mil euros desta perda foram canalizados para o fundo de pensões dos funcionários da PT Portugal. No rescaldo da descontinuação da operadora portuguesa, a Oi sofreu, em 2014, uma perda líquida consolidada de 1,255 milhões de euros.


Clique para ler a bio do autor  Clique para fechar a bio do autor