NSA espia servidores da Huawei

Segurança

Mais uma vez a Agência Nacional de Segurança (NSA) ocupa um lugar de destaque em polémicas de espionagem. O governo chinês exige uma explicação dos Estados Unidos relativamente à alegada espionagem dos servidores da Huawei realizada pela NSA. A China revelou estar profundamente descontente com as atividades de vigilância ilícita por parte da NSA e

Mais uma vez a Agência Nacional de Segurança (NSA) ocupa um lugar de destaque em polémicas de espionagem. O governo chinês exige uma explicação dos Estados Unidos relativamente à alegada espionagem dos servidores da Huawei realizada pela NSA.

huawei

A China revelou estar profundamente descontente com as atividades de vigilância ilícita por parte da NSA e quer que Washington justifique as suas ações, depois de ter sido descoberto que a gigante tecnológica Huawei tinha estado sob vigilância do governo norte-americano.

A Huawei, a par do governo da China, mostrou-se indignada por ter sido alvo de práticas de espionagem por parte da Agência Nacional de Segurança. A empresa considera que estas ações integram-se numa operação de ampla escala para a recolha de inteligência relativa à liderança governativa e ao setor empresarial da China.

“Está na altura de nos juntarmos e de desenvolvermos padrões e as melhores práticas que dificultem as ações daqueles que cometam ilegalidades cibernéticas”, foram as palavras da Huawei, apelando à união das diversas empresas para o combate à vigilância abusiva por agências governamentais.

As mais recentes revelações, baseadas em documentos disponibilizados por Edward Snowden e divulgados pelas publicações Der Spiegel e The New York Times, expuseram o grande interesse dos Estado Unidos em obter informação acerca do governo e de empresas chinesas.

Contudo, regista-se uma acentuada incidência dos esforços de espionagem da NSA sobre a Huawei. Nos documentos obtidos por Snowden estava patente que a empresa tecnológica estava sob suspeitas de colaboração com grupos de criminalidade cibernética chineses. Como resposta, William Plummer, vice-presidente de Assuntos Externos da Huawei norte-americana, disse que, caso tais atividades de espionagem tenham sido perpetradas, a agência de inteligência dos Estado Unidos pôde verificar que não existia qualquer afiliação entre a empresa e entidades governamentais ou grupos criminosos.

Vanee Vines, porta-voz da NSA, disse que as todas as atividades de recolha de inteligência da agência são exclusivamente realizadas em prol da segurança da nação norte-americana.


Clique para ler a bio do autor  Clique para fechar a bio do autor