Note 7 pode ter segunda recall após novos incidentes

MobilidadeSmartphones
0 0 Sem Comentários

A Samsung parou a produção do Galaxy Note 7 após vários relatos de novos modelos pegando fogo, o que poderá levar a uma segunda recall do smartphone.

De acordo com a imprensa sul-coreana, a suspensão foi decidida em cooperação com as autoridades da Coreia do Sul, Estados Unidos e China. Ontem, duas operadoras americanas suspenderam as vendas do Galaxy Note 7 precisamente devido a receios de segurança relacionados ao risco de incêndio do aparelho.

A AT&T anunciou que iria suspender a substituição de Note 7 por versões renovadas, conforme previsto na recall ordenada pela Samsung, e a T-Mobile suspendeu totalmente as vendas do smartphone.

Isso acontece depois de vários modelos substituídos pela nova versão do telemóvel terem ardido. No caso da T-Mobile, os clientes irão receber um crédito de US$25 se devolverem seus Note 7.

“Enquanto a Samsung investiga os vários relatos de incidentes, a T-Mobile suspende todas as vendas do novo Note 7 e substituições por novos aparelhos”, declarou a operadora móvel ao The Verge. A empresa também pediu para todos os clientes “pararem de usar e desligarem” os seus modelos, devolvendo-os numa loja da marca.

No caso da AT&T, a justificação é semelhante. “Com base em relatos recentes, não iremos trocar mais o Note 7 por modelos novos, enquanto os incidentes estão a ser investigados”, declarou a empresa à agência Reuters.

O problema começou em setembro, quando dezenas de smartphones explodiram, incendiaram-se ou deitaram fumo. A Samsung foi forçada a parar as vendas e a pedir a recall de mais de 2,5 milhões de unidades, tendo iniciado uma investigação sobre o problema. A conclusão preliminar foi de que um erro na produção da bateria teria originado o elevado sobreaquecimento e risco de explosão. A empresa corrigiu o erro e, no início de outubro, a nova versão do Note 7 começou a ser distribuída aos clientes.

Mas na semana passada, um novo Note 7 quase se incendiou num voo da Southwest Airlines. Pelo menos mais quatro casos de fogo ou fumo foram reportados. De acordo com notícias que citam a operadora australiana a Samsung já parou as entregas do smartphone.