NOS inaugura Centro de Convergência e Supervisão

OperadoresRedes

Localizado no edifício da operadora no Parque das Nações, o novo Centro garante, através da convergência de sistemas e processos, a monitorização e supervisão das redes assegurando a estabilidade das infraestruturas e a otimização das redes. Trata-se de um investimento estratégico cuja inauguração contou com a presença do Ministro da Economia, Pires de Lima. “Um marco

Localizado no edifício da operadora no Parque das Nações, o novo Centro garante, através da convergência de sistemas e processos, a monitorização e supervisão das redes assegurando a estabilidade das infraestruturas e a otimização das redes. Trata-se de um investimento estratégico cuja inauguração contou com a presença do Ministro da Economia, Pires de Lima.

CCS6 “Um marco importante na consolidação do projeto empresarial e um pilar central” foram as palavras escolhidas por Miguel Almeida, CEO da NOS para apresentar o novo Centro de Convergência e Supervisão da operadora portuguesa. Para este responsável da NOS, o investimento nesta infraestrutura é vital para a atividade da empresa pois permite um “aumento de eficiência” sendo que “não é possível ter oferta convergente sem esta estrutura”.

Aliás, a ideia é exatamente ter um espaço integrado, criado de raiz para servir a convergência e supervisão das diferentes infraestruturas da NOS, que permita uma melhor articulação das equipas, uma partilha mais eficiente de espaço, informação e tecnologias e que se traduza num melhor serviço prestado ao cliente.

O Centro de Convergência faz assim convergir a monitorização de diferentes tecnologias e redes, unificadas pela fusão, garantindo a eficiência dos serviços de comunicação prestados pela operadora aos mais de 7,3 milhões de clientes empresariais e particulares ao detetar qualquer ocorrência em tempo, ativando os mecanismos de reposição imediata dos serviços.

O montante investido ascende aos quatro milhões e meio de euros e insere-se num plano a cinco anos superior a mil milhões. A este propósito, Miguel Almeida terá aproveitado a presença do Ministro para dar uma alfinetada na concorrência ao dizer que “não pedimos nem queremos ajuda mas não deixamos de questionar porque razão outros a têm”. Mais tarde, em conversa com os jornalistas, o líder da NOS explicou que qualquer tipo de benefícios, em qualquer setor é mau para o mercado.

Pires de Lima, passou ao lado deste tema na sua intervenção mas não deixou de referir que “os azares de outros são uma oportunidade para os que têm uma boa equipa de gestão”, ao mesmo tempo que elogiou a NOS relativamente ao processo de fusão Zon-Optimus, destacando que a forma profissional como decorreu “faz bem a Portugal e ajuda a vender o país de uma forma positiva” junto dos investidores internacionais. O responsável governamental referiu-se ainda à importância do setor das telecomunicações para a Economia, apresentado alguns dados otimistas.

De referir ainda que, nesta ocasião, a NOS destacou ainda que está a efetuar outros investimentos no sentido de levar as suas redes e os seus serviços a cada vez mais pontos do nosso país destacando que está a olhar não só para o território continental mas também para os Açores e Madeira.


Clique para ler a bio do autor  Clique para fechar a bio do autor