Nokia quer Android na sua nova linha de smartphones low-cost

MobilidadeSO

A Nokia, que será em breve adquirida pela Microsoft, está a centrar-se em software criado pela sua arqui-inimiga Google para ser implementado numa nova linha de telemóveis que espera tornar-se um competidor tardio no dinâmico mercado de smartphones de baixo custo. O primeiro modelo da tecnológica finlandesa, o Nokia X, apoiar-se-á numa versão aberta do

A Nokia, que será em breve adquirida pela Microsoft, está a centrar-se em software criado pela sua arqui-inimiga Google para ser implementado numa nova linha de telemóveis que espera tornar-se um competidor tardio no dinâmico mercado de smartphones de baixo custo.

stephen elop

O primeiro modelo da tecnológica finlandesa, o Nokia X, apoiar-se-á numa versão aberta do sistema de software mobile Andoid criado pela Google que se tornou o software mais popular do mundo usado em smartphones.

O lançamento do telemóvel poucos dias antes da Nokia vender o seu negócio telefónico à Microsoft num acordo de 7,2 mil milhões de dólares, é uma tentativa de se manter relevante em mercados emergentes, em que os telemóveis Android de baixo custo estão a ser adquiridos por centenas de milhões de utilizadores.

Mas a mudança de estratégia denota a quantidade de passos mal dados pela empresa finlandesa desde que a Apple lançou o seu inovador iPhone em 2007.

A Nokia viu-se encurralada, comprometida em usar o software Windows Phone da Microsoft mas a precisar do software Android para atingir consumidores low-cost, disse Bem Wood, chefe de pesquisa da CCS Insight.

“O facto de uma empresa prestes a ser adquirida pela Microsoft, que é proprietária do sistema operativo original, mover-se para Android é quase uma admissão de fracasso”, disse Wood.

As remessas globais de smartphones cresceram 41 por cento anualmente para atingir quase mil milhões de unidades em 2013, de acordo com firma Strategy Analytics. Os dispositivos Android de dezenas de fabricantes de telemóveis constituíram quase mais de 80 por cento das vendas de smartphones, ou 781,2 milhões de unidades.

No ano passado, a Apple aumentou a venda de telemóveis em 13 por cento e as remessas mundiais foram de 153,4 milhões de smartphones, 15 por cento do mercado total, fazendo dela a segunda maior plataforma de smartphone depois do Android.

A Microsoft era uma distante terceira em termos de quota de mercado, enviando 35,7 milhões de unidade globalmente com a plataforma de software Windows Mobile, mas continua com dificuldades em ganhar terreno nas categorias mais baixas e na camada premium de smartphones. O Android e a Apple mantêm-se influentes nos segmentos mais baixos e premium, respetivamente.

A principal estratégica da Nokia continua a ser apoiar-se no software Windows Phone da Microsoft para os seus modelos premium, ao passo que adapta o Android para participar na camada mais baixa do mercado de smartphones.


Clique para ler a bio do autor  Clique para fechar a bio do autor